Avisos e Comunicados 2020

 

Proteção Civil e Segurança

 

2020

  

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 30 de Setembro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 09h00 até às 18h00 do dia 17 de Setembro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 06h00 até às 15h00 do dia 18 de Setembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 06h00 até às 21h00 do dia 18 de Setembro!

 

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado;
  • • Aguaceiros, podendo ser por vezes fortes e acompanhados de trovoada e queda de granizo a partir da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) predominando do quadrante sul, soprando por vezes forte (até 40 km/h) e com rajadas até 70 km/h nas terras altas em especial a partir da manhã;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 23 e os 27 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 12 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 50 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 17SET2020

Efeitos Expectáveis

Os episódios típicos das estações de transição, com a ocorrência das primeiras chuvas, são propícios:

• À ocorrência de inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais por obstrução dos sistemas de escoamento;
• A ocorrência de cheias, potenciadas pelo transbordo do leito de alguns cursos de água, rios e ribeiras;
• À instabilização de vertentes, conduzindo a movimentos de massa (deslizamentos, derrocadas e outros) motivados pela infiltração da água, podendo ser potenciados pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais, ou por artificialização do solo;
• À contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais;

Ao arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos, ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte, que podem causar acidentes com veículos em circulação ou transeuntes na via pública.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção, às possíveis consequências:

Inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais:

    1. Com as primeiras chuvas, as quantidades de lixo depositado nas embocaduras dos sistemas de águas pluviais, a obstrução originada pela queda de folhas de árvores e os detritos vegetais juntamente com outros materiais inertes que durante a estação seca se depositaram ao longo das valetas das vias de comunicação, contribuem para situações de obstrução dos canais de escoamento.
    2. Estas são geralmente responsáveis pelo arrastamento e concentrações destes resíduos sólidos em locais inadequados (sarjetas, sumidouros, valetas) originando acumulações de águas pluviais que poderão provocar cortes de vias de comunicação ou mesmo inundações nos pisos mais baixos de edifícios.
    3. Desta forma, recomenda-se que providenciem a limpeza e desobstrução de sumidouros, valetas e outros canais de drenagem, removendo folhas caídas das árvores, areias e pedras que ali se depositaram previamente à época das chuvas. A verificação da funcionalidade dos sistemas de drenagem urbana é, por isso, essencial.
    4. Paralelamente, cada cidadão deve também tomar uma atitude pró-ativa, nomeadamente assegurando a desobstrução dos sistemas de escoamento de águas pluviais dos quintais, ou varandas e a limpeza de sarjetas, algerozes e caleiras dos telhados de habitações.

Cheias motivadas pelo transbordo do leito de alguns rios:

    1. O arrastamento e deposição de materiais sólidos pelos cursos de água pode contribuir, significativamente para o acréscimo dos efeitos das cheias. Outros condicionantes, como a falta de obstáculos à progressão da água nas bacias drenantes e a incapacidade de retenção da precipitação no coberto vegetal (como consequência de áreas ardidas) assim como a diminuição da capacidade de vazão das linhas de água e da capacidade de armazenamento nas albufeiras devido ao arrastamento de sólidos (por erosão) desde as bacias drenantes até à linha de água, são fatores associados às inundações por cheias.
    2. Neste contexto, recomenda-se a adoção, entre outras, das seguintes medidas de precaução:
    • • Desobstrução de linhas de água principalmente junto a pontes, aquedutos e outros estrangulamentos do escoamento;
    • • Limpeza de linhas de água assoreadas;
    • • Limpeza dos resíduos sólidos urbanos (muitos deles de grandes dimensões) depositados nos troços marginais dos cursos de água;
    • • Evitar cortes rasos de material lenhoso ardido em situações de declive intenso, localizados nas proximidades das linhas de água;
    • • Recolha ou trituração dos resíduos resultantes do corte dos salvados das áreas ardidas localizadas nas margens das linhas de água;
    • • Recolha ou trituração dos resíduos de atividades agrícolas e florestais existentes nas margens das linhas de água;
    • • Verificação (e eventual reparação) de eventuais situações de desmoronamentos das margens das linhas de água, de modo a evitar obstruções ou estrangulamentos;
    • • Inspeção visual de diques, ou outros aterros longitudinais às linhas de água, destinados a resguardar os terrenos marginais;
    • • Identificação de novos “pontos críticos” (aglomerados populacionais, edificações, vias de comunicação, pontes/pontões, etc.).

Instabilização de taludes ou movimentos de massa motivados pela infiltração de água, podendo ser potenciados pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais:

    1. A precipitação pode aumentar a instabilidade de solos e rochas em vertentes. O aumento da instabilidade dessas vertentes, em especial junto de aglomerados populacionais, vias rodoviárias e ferroviárias, deve ser observado como medida preventiva de acidentes causados por movimentos de massa (deslizamentos, desabamentos e outros).
    2. As principais observações que devem ser feitas, em especial em taludes de maior inclinação (onde mais abruptamente pode ocorrer a rotura) são as seguintes:
      1. Em taludes rochosos em que pode haver desmoronamento ou tombamento de blocos de rocha, deve observar-se o normal funcionamento das estruturas de escoamento (filtros, proteção de filtros, furos de alívio de pressão de água, etc.) e as estruturas de suporte para a estabilização de taludes (cortinas de cimento, gabiões de proteção, redes de proteção, etc.);
      2. Em aterros e taludes de terra, devem observar-se possíveis deformações (abertura de fendas que significam arrastamento de material), bem como assentamentos devido às variações do nível da água nos terrenos.
    1. A ocorrência de incêndios florestais pode reduzir o coberto vegetal, potenciando os movimentos de massa, causados por erosão intensificada e por alterações nas características das rochas face à exposição às temperaturas elevadas. Torna-se assim necessária, especial atenção a grandes blocos rochosos com sinais de exposição ao fogo e em posição instável.
    2. Sempre que as observações feitas suscitem dúvidas, devem ser comunicadas ao Serviço Municipal de Proteção Civil respetivo, de forma a serem desencadeadas formas de medição de parâmetros e de monitorização dos fenómenos de instabilidade.

Contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais:

A ocorrência de incêndios na proximidade de captações de água para consumo humano, pode ocasionar a contaminação da água por inertes, em consequência da destruição do coberto vegetal. A infiltração de águas pluviais contaminadas torna, assim, recomendável a monitorização da qualidade da água, de modo a garantir um abastecimento às populações de acordo com os exigíveis parâmetros de qualidade e segurança.

Arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos, ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte:

Os ventos fortes ou muito fortes, contínuos ou em rajada, são fenómenos muito frequentes, que podem arrastar, com perigo para os cidadãos e danos para o património, estruturas que não se encontrem devidamente fixadas. Recomenda-se que se verifiquem todas as estruturas que, pelas suas características (dimensão, formato, altura desde o solo, resistência ao vento), possam ser facilmente arrastadas ou levantadas dos seus suportes, procurando garantir que resistem aos ventos fortes. Nos casos em que tal seja impossível, deve garantir-se a facilidade de remover/desmontar essas estruturas, guardando-as em locais seguros sempre que ocorram ventos fortes previsíveis.

 


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 30 de Setembro!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao COVID – 19, nos vários escalões territoriais. O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro.
À data, a realidade vivida em Portugal justifica a adoção de medidas mais restritivas do que aquelas que têm vindo a ser tomadas nas semanas que se antecederam. Face a este cenário foi publicada a Resolução do Conselho de Ministros n.º 70-A/2020 de 11 de setembro a qual declara, na sequência da evolução da situação epidemiológica da COVID-19, a situação de contingência até às 23:59 do dia 30 de setembro, em todo o território nacional continental.

15SET2020

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.

Anteriores

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 30 de Setembro!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 14 de Setembro até às 23h59 do dia 16 de Setembro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 09h00 até às 15h00 do dia 17 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado no interior até final da manhã;
  • • Possibilidade de aguaceiros a partir da tarde, sendo mais prováveis no interior das regiões Norte e Centro;
  • • Vento em geral fraco, por vezes moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, soprando temporariamente do quadrante oeste no litoral durante a tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 30 e os 31 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 29 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 16SET2020

Efeitos Expectáveis

Os episódios típicos das estações de transição, com a ocorrência das primeiras chuvas, são propícios:

• À ocorrência de inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais por obstrução dos sistemas de escoamento;
• A ocorrência de cheias, potenciadas pelo transbordo do leito de alguns cursos de água, rios e ribeiras;
• À instabilização de vertentes, conduzindo a movimentos de massa (deslizamentos, derrocadas e outros) motivados pela infiltração da água, podendo ser potenciados pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais, ou por artificialização do solo;
• À contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais;

Ao arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos, ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte, que podem causar acidentes com veículos em circulação ou transeuntes na via pública.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção, às possíveis consequências:

Inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais:

    1. Com as primeiras chuvas, as quantidades de lixo depositado nas embocaduras dos sistemas de águas pluviais, a obstrução originada pela queda de folhas de árvores e os detritos vegetais juntamente com outros materiais inertes que durante a estação seca se depositaram ao longo das valetas das vias de comunicação, contribuem para situações de obstrução dos canais de escoamento.
    2. Estas são geralmente responsáveis pelo arrastamento e concentrações destes resíduos sólidos em locais inadequados (sarjetas, sumidouros, valetas) originando acumulações de águas pluviais que poderão provocar cortes de vias de comunicação ou mesmo inundações nos pisos mais baixos de edifícios.
    3. Desta forma, recomenda-se que providenciem a limpeza e desobstrução de sumidouros, valetas e outros canais de drenagem, removendo folhas caídas das árvores, areias e pedras que ali se depositaram previamente à época das chuvas. A verificação da funcionalidade dos sistemas de drenagem urbana é, por isso, essencial.
    4. Paralelamente, cada cidadão deve também tomar uma atitude pró-ativa, nomeadamente assegurando a desobstrução dos sistemas de escoamento de águas pluviais dos quintais, ou varandas e a limpeza de sarjetas, algerozes e caleiras dos telhados de habitações.

Cheias motivadas pelo transbordo do leito de alguns rios:

    1. O arrastamento e deposição de materiais sólidos pelos cursos de água pode contribuir, significativamente para o acréscimo dos efeitos das cheias. Outros condicionantes, como a falta de obstáculos à progressão da água nas bacias drenantes e a incapacidade de retenção da precipitação no coberto vegetal (como consequência de áreas ardidas) assim como a diminuição da capacidade de vazão das linhas de água e da capacidade de armazenamento nas albufeiras devido ao arrastamento de sólidos (por erosão) desde as bacias drenantes até à linha de água, são fatores associados às inundações por cheias.
    2. Neste contexto, recomenda-se a adoção, entre outras, das seguintes medidas de precaução:
    • • Desobstrução de linhas de água principalmente junto a pontes, aquedutos e outros estrangulamentos do escoamento;
    • • Limpeza de linhas de água assoreadas;
    • • Limpeza dos resíduos sólidos urbanos (muitos deles de grandes dimensões) depositados nos troços marginais dos cursos de água;
    • • Evitar cortes rasos de material lenhoso ardido em situações de declive intenso, localizados nas proximidades das linhas de água;
    • • Recolha ou trituração dos resíduos resultantes do corte dos salvados das áreas ardidas localizadas nas margens das linhas de água;
    • • Recolha ou trituração dos resíduos de atividades agrícolas e florestais existentes nas margens das linhas de água;
    • • Verificação (e eventual reparação) de eventuais situações de desmoronamentos das margens das linhas de água, de modo a evitar obstruções ou estrangulamentos;
    • • Inspeção visual de diques, ou outros aterros longitudinais às linhas de água, destinados a resguardar os terrenos marginais;
    • • Identificação de novos “pontos críticos” (aglomerados populacionais, edificações, vias de comunicação, pontes/pontões, etc.).

Instabilização de taludes ou movimentos de massa motivados pela infiltração de água, podendo ser potenciados pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais:

    1. A precipitação pode aumentar a instabilidade de solos e rochas em vertentes. O aumento da instabilidade dessas vertentes, em especial junto de aglomerados populacionais, vias rodoviárias e ferroviárias, deve ser observado como medida preventiva de acidentes causados por movimentos de massa (deslizamentos, desabamentos e outros).
    2. As principais observações que devem ser feitas, em especial em taludes de maior inclinação (onde mais abruptamente pode ocorrer a rotura) são as seguintes:
      1. Em taludes rochosos em que pode haver desmoronamento ou tombamento de blocos de rocha, deve observar-se o normal funcionamento das estruturas de escoamento (filtros, proteção de filtros, furos de alívio de pressão de água, etc.) e as estruturas de suporte para a estabilização de taludes (cortinas de cimento, gabiões de proteção, redes de proteção, etc.);
      2. Em aterros e taludes de terra, devem observar-se possíveis deformações (abertura de fendas que significam arrastamento de material), bem como assentamentos devido às variações do nível da água nos terrenos.
    1. A ocorrência de incêndios florestais pode reduzir o coberto vegetal, potenciando os movimentos de massa, causados por erosão intensificada e por alterações nas características das rochas face à exposição às temperaturas elevadas. Torna-se assim necessária, especial atenção a grandes blocos rochosos com sinais de exposição ao fogo e em posição instável.
    2. Sempre que as observações feitas suscitem dúvidas, devem ser comunicadas ao Serviço Municipal de Proteção Civil respetivo, de forma a serem desencadeadas formas de medição de parâmetros e de monitorização dos fenómenos de instabilidade.

Contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais:

A ocorrência de incêndios na proximidade de captações de água para consumo humano, pode ocasionar a contaminação da água por inertes, em consequência da destruição do coberto vegetal. A infiltração de águas pluviais contaminadas torna, assim, recomendável a monitorização da qualidade da água, de modo a garantir um abastecimento às populações de acordo com os exigíveis parâmetros de qualidade e segurança.

Arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos, ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte:

Os ventos fortes ou muito fortes, contínuos ou em rajada, são fenómenos muito frequentes, que podem arrastar, com perigo para os cidadãos e danos para o património, estruturas que não se encontrem devidamente fixadas. Recomenda-se que se verifiquem todas as estruturas que, pelas suas características (dimensão, formato, altura desde o solo, resistência ao vento), possam ser facilmente arrastadas ou levantadas dos seus suportes, procurando garantir que resistem aos ventos fortes. Nos casos em que tal seja impossível, deve garantir-se a facilidade de remover/desmontar essas estruturas, guardando-as em locais seguros sempre que ocorram ventos fortes previsíveis.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 30 de Setembro!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 14 de Setembro até às 23h59 do dia 16 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, diminuindo de nebulosidade a partir da tarde;
  • • Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva ou aguaceiros no Norte e Centro até ao início da tarde, em especial no litoral;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) predominando do quadrante sul, rodando para o quadrante oeste a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 30 e os 31 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 33 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 15SET20202

Efeitos Expectáveis

Diminuição do risco de incêndio na generalidade do território, exceto nos distritos de Bragança e Guarda.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Setembro!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 14 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado;
  • • Aguaceiros, fracos e dispersos no litoral, sendo mais frequentes e intensos no interior Norte e Centro durante a tarde, por vezes acompanhados de trovoada;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) a predominar do quadrante sul, soprando temporariamente moderado a forte (25 a 40 km/h) nas terras altas, com rajadas até 75 km/h até ao meio da tarde, e tornando-se do quadrante oeste a partir do meio da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais, em especial do litoral oeste;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 31 e os 32 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 17 e os 18 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 28 – 94 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 14SET2020

Efeitos Expectáveis

Diminuição do risco de incêndio na generalidade do território, exceto nos distritos de Bragança e Guarda.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Setembro!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao COVID – 19, nos vários escalões territoriais.
O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme consta dos Relatório de Situação da Direção-Geral de Saúde sobre o NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), a situação apresenta alguma estabilidade, com tendência para melhorar. Dando continuidade ao processo de desconfinamento, é prorrogada e ajustada a declaração da situação de alerta e contingência, nos termos do disposto na Resolução do Conselho de Ministros n.º 68-A/2020 de 28 de agosto a qual determina, a manutenção da situação de contingência em toda a Área Metropolitana de Lisboa e a manutenção da situação de alerta para o restante território nacional até às 23:59 horas do dia 14 de setembro de 2020.

31AGO20202

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.


 

 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Setembro!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 09h00 do dia 12 de Setembro até às 20h00 do dia 13 de Setembro!

(DECIR) ALERTA VERMELHO desde as 00h00 do dia até às 23h59 do dia 13 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com períodos de céu muito nublado;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) no Baixo Alentejo e Algarve até final da manhã, e nas terras altas, com rajadas até 80 km/h nas serras algarvias, a rodar para quadrante sul a partir da tarde;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 36 e os 37 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 21 – 77 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 13SET2020

Efeitos Expectáveis

Manutenção do risco de incêndio em especial nas regiões Norte e Centro. Manutenção das dificuldades de supressão dos incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


despacho  11 setembro 004 ASS 0001

despacho  11 setembro 004 ASS 0002


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Setembro!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 06 de Setembro até às 23h59 do dia 11 de Setembro!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 10 de Setembro até ao dia 12 de Setembro!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 09h00 do dia 12 de Setembro até às 20h00 do dia 13 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado, temporariamente nublado por nuvens altas, apresentando períodos de maior nebulosidade na faixa costeira ocidental a sul do Cabo Mondego;
  • • Vento em geral fraco predominando do quadrante norte. Nas terras altas, vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando por vezes forte (até 40 km/h) do quadrante leste no Norte e Centro até meio da manhã;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal no litoral oeste;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 36 e os 37 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 15 – 73 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 10SET2020

Efeitos Expectáveis

Manutenção do risco de incêndio em especial nas regiões Norte e Centro. Manutenção das dificuldades de supressão dos incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

Prorrogação da situação de alerta até 11-09-2020 ASS page-0001Prorrogação da situação de alerta até 11-09-2020 ASS page-0002


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Setembro!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 18h00 do dia 03 de Setembro até às 18h00 do dia 08 de Setembro!

(Saúde Sazonal) ALERTA VERMELHO desde o dia 05 de Setembro até ao dia 07 de Setembro!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 06 de Setembro até às 23h59 do dia 09 de Setembro!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO no dia 08 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, aumentando gradualmente de nebulosidade por nuvens altas a partir da tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, temporariamente de noroeste na faixa costeira durante a tarde, e soprando por vezes forte (até 45 km/h) nas terras altas até final da manhã, com rajadas até 70 km/h, e a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 33 e os 36 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 15 e os 19 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 15 – 89 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

08SET2020

Efeitos Expectáveis

Aumento gradual do risco de incêndio em especial nas regiões Norte e Centro. Aumento das dificuldades de supressão dos incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


Situação alerta 6-8 setembro 3 002ASS page-0001Situação alerta 6-8 setembro 3 002ASS page-0002Situação alerta 6-8 setembro 3 002ASS page-0003Situação alerta 6-8 setembro 3 002ASS page-0004


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Agosto!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 03 de Setembro até às 23h59 do dia 05 de Setembro!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 18h00 do dia 03 de Setembro até às 18h00 do dia 07 de Setembro!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO no dia 04 de Setembro!

(Saúde Sazonal) ALERTA VERMELHO desde o dia 05 de Setembro até ao dia 06 de Setembro!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 06 de Setembro até às 23h59 do dia 08 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral a norte do Cabo Raso até final da manhã e no interior Norte e Centro durante a tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, rodando temporariamente para oeste/noroeste durante a tarde, sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas do Norte e Centro a partir do final da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal no litoral a norte do Cabo Raso;
  • • Temperatura máxima mantem-se no intervalo entre os 36e os 39 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 14 e os 19 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 16 – 92 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

05SET2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio aumente no interior e a sul do território, especialmente em Beja e Faro, existindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Agosto!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 01 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade na região Norte no final do dia;
  • • Vento em geral fraco do quadrante leste, tornando-se gradualmente fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte a partir da tarde, sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até ao início da manhã;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um  intervalo entre os 29 e os 33 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 12 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 12 – 87 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

31AGO2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio aumente no interior e a sul do território, especialmente em Beja e Faro, existindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Agosto!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 27 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral oeste até ao fim da manhã, nebulosidade que poderá persistir em alguns locais da faixa costeira a norte do Cabo Raso;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) de norte/noroeste, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas a partir do final da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal no litoral oeste;
  • • Temperatura máxima aumentará para um  intervalo entre os 36 e os 37 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 16 e os 18 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 29 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

26AGO2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio aumente no interior e a sul do território, especialmente em Beja e Faro, existindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Agosto!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 07 de Agosto até às 23h59 do dia 11 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado, apresentando-se geralmente muito nublado até meio da manhã, em especial no litoral oeste, persistindo em alguns locais da faixa costeira ocidental;
  • • Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco no litoral oeste das regiões Centro e Sul;
  • • Durante a tarde, aumento temporário de nebulosidade nas regiões do interior com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada, mais prováveis no Norte e Centro;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas das regiões Centro e Sul a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal, em especial no litoral das regiões Norte e Centro;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 30 e os 31 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 16 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 38 – 97 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

11AGO2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio se mantenha nos níveis máximo/muito elevado nas regiões do interior Norte e Centro e com a manutenção de índices elevados no resto de Portugal Continental existindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Agosto!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 07 de Agosto até às 23h59 do dia 10 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se muito nublado no litoral a norte do Cabo Raso até meio da manhã, nebulosidade que poderá persistir em alguns locais da faixa costeira;
  • • Durante a tarde, aumento temporário de nebulosidade no interior, onde há possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoadas dispersos, em particular em zonas de montanha;
  • • Vento fraco, soprando moderado (até 30 km/h) de noroeste entre os cabos Raso e Carvoeiro, tornando-se fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste a partir da tarde, e por vezes forte (até 40 km/h) na faixa costeira ocidental a sul do Cabo Carvoeiro;
  • • Nas terras altas, o vento será temporariamente moderado (25 a 35 km/h) de sul a partir da manhã;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral a norte do Cabo Raso;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 29 e os 34 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 15 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 33 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

08AGO2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio se mantenha nos níveis máximo/muito elevado nas regiões do interior Norte e Centro e com a manutenção de índices elevados no resto de Portugal Continental existindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

No âmbito da declaração da situação de alerta, será determinada a adoção das seguintes medidas, de caráter excecional, em todos os distritos:

a) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem, com as exceções previstas no artigo 23.º do Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de junho, na sua atual redação, nomeadamente o acesso, a circulação e a permanência de residentes permanentes ou temporários e de pessoas que ali exerçam atividade profissional;
b) Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;
c) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;
d) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal;
e) Proibição da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros.


 ASSINADO-MAI-SEADN-MAAC-MA-V FINAL-Situação alerta 8-9 agosto 1

ASSINADO-MAI-SEADN-MAAC-MA-V FINAL-Situação alerta 8-9 agosto 2

ASSINADO-MAI-SEADN-MAAC-MA-V FINAL-Situação alerta 8-9 agosto 3

ASSINADO-MAI-SEADN-MAAC-MA-V FINAL-Situação alerta 8-9 agosto 4


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Agosto!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 07 de Agosto!

ALERTA AMARELO Saude Sazonal para o dia 07 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral, com possibilidade de ocorrência de chuvisco até meio da manhã, e persistindo a nebulosidade em alguns locais da faixa costeira;
  • • Durante a tarde, temporariamente a nebulosidade aumenta no interior, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoadas dispersos e pouco frequentes no interior Norte;
  • • Vento fraco, temporariamente moderado (até 25 km/h) do quadrante sul na região Sul e por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas do Algarve, tornando-se do quadrante oeste fraco a moderado (até 30 km/h) a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais, em particular do litoral;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 36 e os 37 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 16 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 29 – 96 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

07AGO2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio seja máximo/muito elevado no Algarve, na região do Vale do Tejo e nas regiões Centro e Norte durante o dia de hoje (05Agosto), com agravamento durante o dia de amanhã (06Agosto) no interior Norte e Centro e no Algarve/baixo Alentejo, e eventual desagravamento na sexta-feira (07agosto) no Algarve/baixo Alentejo (que ainda assim manterão índices muito elevados/elevados).

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 ASSINADO-Situação alerta 6-7 agosto 1

ASSINADO-Situação alerta 6-7 agosto 2

ASSINADO-Situação alerta 6-7 agosto 3

ASSINADO-Situação alerta 6-7 agosto 4


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Agosto!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 05 de Agosto até às 23h59 do dia 06 de Agosto!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 07 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral Centro até meio da manhã e no interior Sul durante a tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, tornando-se do quadrante oeste a partir da tarde, soprando por vezes forte (até 40 km/h) na faixa costeira ocidental, em especial durante a tarde, e nas terras altas até início da manhã e a partir do meio da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal no litoral Norte e Centro;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 33 e os 39 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 21 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

06AGO2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio seja máximo/muito elevado no Algarve, na região do Vale do Tejo e nas regiões Centro e Norte durante o dia de hoje (05Agosto), com agravamento durante o dia de amanhã (06Agosto) no interior Norte e Centro e no Algarve/baixo Alentejo, e eventual desagravamento na sexta-feira (07agosto) no Algarve/baixo Alentejo (que ainda assim manterão índices muito elevados/elevados).

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Agosto!

(DECIR) ALERTA VERMELHO desde as 20h00 do dia 02 de Agosto até às 23h59 do dia 04 de Agosto!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 05 de Agosto até às 23h59 do dia 06 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral oeste Centro e Sul até meio da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, sendo do quadrante sul na costa sul do Algarve durante a tarde, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até início da manhã e a partir do final da tarde, e na faixa costeira ocidental em especial durante a tarde;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 35 e os 38 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 22 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

 04AGO2020

Efeitos Expectáveis

Prevê-se que o risco de incêndio se mantenha máximo/muito elevado no Algarve, na região do Vale do Tejo e nas regiões Centro e Norte, realçando-se a previsão de agravamento no nordeste transmontano no dia 06 de agosto.
Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável a manutenção do tempo seco, permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

0001

0002

0003

0004


AVISO À POPULAÇÃO

INCREMENTO DO PERIGO DE INCÊNDIO RURAL - MEDIDAS PREVENTIVAS

Situação Meteorológica

Humidade Relativa: Amanhã (03 de Agosto) prevê-se teores de HRA<30% na região interior mais a leste do país e no sotavento algarvio, sem recuperação noturna no sotavento algarvio, no interior Norte e Centro e no alto Alentejo. Na terça-feira (04Agosto) prevê-se uma diminuição dos teores de HRA, que deverão ser < 20% no interior do país, sendo < 30% no resto do país, exceto na faixa litoral, único local onde deverá ocorrer recuperação noturna;
- Temperatura: Amanhã (03Agosto), valores de cerca de 34ºC no interior do país e no sotavento algarvio e na terça-feira (04Agosto), aumento dos valores de temperatura máxima, que já poderão atingir 38 º C na região Sul, no Vale do Tejo e na Beira Baixa, com previsão da ocorrência de noites tropicais de 4 para 5 de agosto no interior e no Algarve.
- Vento: Amanhã (03Agosto), prevê-se que o vento continue a soprar forte (até 40 a 45 km/h) no litoral oeste a sul do cabo Carvoeiro e nas terras altas (em especial do Centro e do Sul), com rajadas até 65 km/h, com possível enfraquecimento noturno.
- De destacar que na noite de 3 para 4 poderá haver rotação do vento para leste nas terras altas, o qual será previsivelmente mais intenso nas terras altas do Norte. Na terça-feira (04Agosto), prevê-se que o vento predomine do quadrante norte (até 30 km/h), soprando até 40 km/h de leste/nordeste nas terras altas e na faixa costeira ocidental até início da manhã e a partir do final do dia e sendo a partir da manhã do quadrante sul na costa sul do Algarve.
- Prevê-se que o risco de incêndio se mantenha máximo/muito elevado no Algarve (com agravamento previsto até dia 03Agosto) e também máximo/muito elevado nas regiões do Norte, Centro e Vale do Tejo.

Efeitos Expectáveis

Manutenção do tempo quente e seco, e do vento forte, permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas Preventivas

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que, de acordo com a Declaração da Situação de Alerta em vigor, entre as 20h00 de 2 de agosto e as 23h59 do de 4 de agosto, é:

1) PROIBIDO o acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;
2) PROIBIDO realizar queimadas e queimas de sobrantes de exploração;
3) PROIBIDO utilizar fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão. Estão suspensas as autorizações que tenham sido emitidas, nos distritos em que tenha sido declarado o estado de alerta especial de nível vermelho do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro (SIOPS), para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR);
4) PROIBIDO realizar trabalhos nos espaços florestais e outros espaços rurais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais.

Deverá ser consultada a declaração de alerta uma vez que existem algumas exceções às medidas acima enunciadas.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros.


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Agosto!

(DECIR) ALERTA VERMELHO desde as 20h00 do dia 02 de Agosto até às 23h59 do dia 04 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral Centro até início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando por vezes forte (até 40 km/h), com rajadas até 65 km/h no litoral oeste e nas terras altas, em especial durante a tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 30 e os 37 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 14 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 27 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

 02AGO2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável a manutenção do tempo quente e seco, e do vento forte, permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

No âmbito da declaração da situação de alerta, será determinada a adoção das seguintes medidas, de caráter excecional, em todos os distritos:

a) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem, com as exceções previstas no artigo 23.º do Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de junho, na sua atual redação, nomeadamente o acesso, a circulação e a permanência de residentes permanentes ou temporários e de pessoas que ali exerçam atividade profissional;

b) Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;

c) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

d) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal;

e) Proibição da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Julho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 29 de Julho até às 23h59 do dia 31 de Julho!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.
O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme consta dos Relatório de Situação da Direção-Geral de Saúde sobre o NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), a situação apresenta alguma estabilidade, com tendência para melhorar. Dando continuidade ao processo de desconfinamento, é prorrogada e ajustada a declaração da situação de alerta e contingência, nos termos do disposto na Resolução de Conselho de Ministros n.º 55-A de 31 de julho, a qual determina, a passagem à situação de contingência em toda a Área Metropolitana de Lisboa e a manutenção da situação de alerta para o restante território nacional até às 23:59 horas do dia 14 de agosto de 2020.

31JUL20202

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 29 de Julho até às 23h59 do dia 31 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 01 de Agosto até às 23h59 do dia 03 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral oeste até meio da manhã, com possibilidade de ocorrência de chuvisco a norte do Cabo Raso, aumentando de nebulosidade no litoral Norte e Centro para o fim do dia;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas do litoral Centro e na faixa costeira a sul do Cabo Raso a partir do meio da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal no litoral oeste;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 31 e os 37 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 22 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 31JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Manutenção do tempo quente e seco, e do vento forte, permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 29 de Julho até às 23h59 do dia 31 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado até meio da manhã, no litoral entre o Cabo Raso e o rio Douro e entre os cabos de Sines e Sagres. Durante a tarde, aumento temporário de nebulosidade no interior Norte e Centro, com baixa probabilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos e trovoadas, em particular em zonas montanhosas;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando por vezes forte (até 40 km/h) do quadrante leste nas terras altas das regiões Norte e Centro até ao início da manhã, e rodando para quadrante oeste a partir da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral oeste a sul do rio Douro e no interior do Alentejo;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 35 e os 38 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 14 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 19 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

 29JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Manutenção do tempo quente e seco, e do vento forte, permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 24 de Julho até às 23h59 do dia 28 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral Norte e Centro até meio da manhã;
  • • Possibilidade de chuva fraca ou chuvisco no litoral a norte do Cabo Raso até início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, por vezes forte (até 40 km/h) no litoral oeste a sul do Cabo Mondego e nas terras altas, em especial do Centro e Sul, soprando de sudoeste no sotavento algarvio durante a tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais a norte do Cabo Raso;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 30 e os 36 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 27 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

 27jul2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Manutenção do tempo quente e seco, e do vento forte, permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

No âmbito da declaração da situação de alerta que vigorará entre as 00h00 de 27 de julho 2020 até às 23h59 de 28 de julho 2020, para todos os distritos de Portugal continental, determina-se a adoção das seguintes medidas, de caráter excecional:

Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;

Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas, nos distritos onde seja decretado o Estado de Alerta Especial de nível LARANJA ou superior, do SIOPS para o DECIR;

Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais e outros espaços rurais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados à alimentação de animais e a situações de combate a incêndios rurais.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 24 de Julho até às 23h59 do dia 27 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade até meio da manhã em alguns locais das regiões do litoral Centro e do litoral oeste a sul do Cabo de Sines;
  • • Durante a tarde, aumento de nebulosidade nas regiões do interior Norte e Centro, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos e trovoada;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) predominando de noroeste, soprando por vezes forte (até 40 km/h) na faixa costeira ocidental e nas terras altas, com rajadas até 65 km/h em especial durante a tarde, soprando de sudoeste no sotavento algarvio durante a tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 32 e os 36 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 15 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 27 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

 24JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Tempo quente e seco permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 22 de Julho até ao dia 23 de Julho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 12h30 até às 23h59 do dia 23 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 até às 23h59 do dia 24 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral oeste até ao fim da manhã;
  • • Durante a tarde, aumento de nebulosidade nas regiões do interior Norte e Centro, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos e trovoada;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) predominando do quadrante oeste, tornando-se forte (até 40 km/h) de noroeste na faixa costeira ocidental e nas terras altas a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral oeste;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 33 e os 37 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 14 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 25 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

 23JUL2020 2

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Tempo quente e seco permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 22 de Julho até ao dia 23 de Julho!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.
O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme consta dos Relatório de Situação da Direção-Geral de Saúde sobre o NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), a situação apresenta alguma estabilidade, com tendência para melhorar. Mantendo-se no essencial os fundamentos que determinaram a declaração de situação de calamidade, foi a mesma prorrogada, para 19 freguesias do distrito de Lisboa, até às 23:59 horas do dia 29 de julho de 2020, mantendo para a restante área Metropolitana de Lisboa, a situação de contingência e o restante território nacional na situação de alerta. restante área Metropolitana de Lisboa para a situação de contingência e o restante território nacional para a situação de alerta.

23JUL2020

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.
O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme consta dos Relatório de Situação da Direção-Geral de Saúde sobre o NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), a situação apresenta alguma estabilidade, com tendência para melhorar. Mantendo-se no essencial os fundamentos que determinaram a declaração de situação de calamidade, foi a mesma prorrogada, para 19 freguesias do distrito de Lisboa, até às 23:59 horas do dia 29 de julho de 2020, mantendo para a restante área Metropolitana de Lisboa, a situação de contingência e o restante território nacional na situação de alerta. restante área Metropolitana de Lisboa para a situação de contingência e o restante território nacional para a situação de alerta.

15JUL20202

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.

 


 

sirene22jul

 

 


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 10h00 do dia 20 de Julho até às 20h00 do dia 22 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO para o dia 22 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade na faixa costeira ocidental até final da manhã, nebulosidade que poderá persistir em alguns locais a norte do Cabo Mondego;
  • • Durante a tarde, aumento de nebulosidade nas regiões do interior, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada no interior Norte e Centro;
  • • Vento fraco, tornando-se fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste a partir do início da tarde, sendo moderado a forte (até 40 km/h) do quadrante norte nas terras altas a partir do final da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal na faixa costeira a norte do Cabo Raso;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 36 e os 37 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 18 e os 19 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 28 – 77 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

22JUL2020

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


DECL SIT ALERTA Prolongamento page-0001DECL SIT ALERTA Prolongamento page-0002

 


AVISO

PREVENÇÃO DOS EFEITOS DO CALOR

Recomendações para grupos vulneráveis

Algumas pessoas são mais vulneráveis aos efeitos do calor intenso e exigem uma atenção especial e medidas específicas para estarem protegidas, nomeadamente:

  1. Crianças nos primeiros anos de vida
  2. Pessoas com 65 ou mais anos
  3. Portadores de doenças crónicas
  4. Pessoas que desenvolvem atividade no exterior, expostos ao sol e/ou ao calor
  5. Praticantes de atividade física
  6. Pessoas isoladas e em carência económica e social

1 - Crianças nos Primeiros Anos de Vida

Bebés e crianças pequenas são especialmente sensíveis aos efeitos do calor intenso e dependem dos adultos para se manterem seguros. Proteja-os do calor intenso.

Principais cuidados a ter:

  • • Vestir a criança com roupas leves, soltas e de cor clara. Não esquecer o chapéu quando estiverem ao ar livre
  • • Dar água com mais frequência e certificar-se de que bebe mais água do que o habitual
  • • Evitar a exposição direta ao sol, especialmente entre as 11 e as 17 horas
  • • Aplicar protetor solar antes de sair de casa
  • • Nunca deixar o seu bebé/criança dentro de um carro estacionado ou outro local exposto ao sol, mesmo que por pouco tempo
  • • Consultar o seu médico se a criança tiver diarreia ou febre e ter especial cuidado com a hidratação
  • • Procurar assistência médica imediatamente sempre que identifique sinais de alerta como: suores intensos; fraqueza; pele fria, pegajosa e pálida; pulsação acelerada ou fraca; vómitos ou náuseas; desmaio

2 - Pessoas com 65 ou mais Anos

O calor é especialmente perigoso para as pessoas idosas, que pode ter menos perceção nas alterações associadas ao calor. É frequente não sentir sede o que leva a uma menor ingestão de líquidos. Por outro lado, o organismo pode não ter a mesma capacidade para realizar a termorregulação necessária para prevenir os efeitos negativos do calor intenso na saúde.

Principais cuidados a ter:

  • • Beber água, mesmo quando não tem sede
  • • Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado
  • • Sempre que necessário procurar locais climatizados
  • • Evitar a exposição direta ao sol
  • • Usar roupas leves, soltas e de cor clara e a utilização de chapéu e protetor solar
  • • No período de maior calor tomar um duche de água tépida
  • • Fazer refeições mais leves e comer mais vezes ao dia
  • • Evitar a utilização do forno ou de outros aparelhos que aqueçam a casa
  • • Ter contacto de alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho)
  • • Consultar o seu médico em caso de doença crónica ou se estiver a fazer uma dieta com pouco sal ou com restrição de líquidos

3 - Portadores de Doenças Crónicas

As pessoas com doença crónica são mais vulneráveis aos efeitos do calor, pelo que é necessário ter cuidados especiais. É o caso das pessoas com diabetes, doença cardíaca, vascular, respiratória, renal, mental e ainda das que tomam medicamentos que diminuem a sensação de calor ou provocam retenção de água ou de sal (anti-hipertensores, antidepressivos, antipsicóticos e medicamentos para a doença de Parkinson, entre outros).

Principais cuidados a ter, salvo indicação médica:

  • • Beber água, mesmo não sentindo sede
  • • Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado
  • • Evitar a exposição direta ao sol
  • • Usar roupas leves, soltas e de cor clara e utilizar chapéu e protetor solar
  • • Usar menos roupa na cama, em especial pessoas com fraca mobilidade ou acamadas
  • • No período de maior calor, tomar um duche de água tépida
  • • Evitar a utilização do forno ou outros aparelhos que aqueçam a casa
  • • Ter alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho)
  • • Se tiver algum sinal ou sintoma associados ao calor, procurar cuidados médicos de imediato
  • • Evitar a exposição dos Medicamentos a temperaturas elevadas

4 - Pessoas que Desenvolvem Atividade no Exterior, Expostos ao Sol ou Calor

Pessoas directamente expostas ao calor, têm maior risco de desidratação ou problemas associados ao calor.

Principais cuidados a ter:

  • • Beber água frequentemente
  • • Evitar consumir líquidos com muito açúcar e bebidas alcoólicas
  • • Usar equipamento leve e protetor solar desde que seja possível e seguro
  • • Nas pausas aproveite para arrefecer, se possível em locais com ar condicionado
  • • Tente desenvolver a sua atividade com outros colegas por perto
  • • Procure apoio médico de imediato se algum dos seus colegas se sentir mal

5 - Praticantes de Atividade Física

Mesmo as pessoas saudáveis podem sofrer as consequências negativas do calor intenso. Se costuma realizar atividade física, não descure os cuidados a ter em situação de calor intenso.

Principais cuidados a ter:

  • • Começar e terminar a atividade física de forma lenta e gradual
  • • Optar pela manhã cedo ou pelo final do dia e evite as horas de maior exposição solar, entre as 11h e as 17h
  • • Beber água frequentemente: antes, durante e no final da prática de atividade física. Se transpirar muito, opte por uma bebida com eletrólitos (bebidas para desportistas)
  • • Evitar consumir líquidos com muito açúcar
  • • Realizar atividade física com companhia
  • • Parar de imediato a atividade se sentir fraqueza ou sensação de desmaio

6 - Pessoas Isoladas e em Situação de Carência Económica e Social

No que respeita a pessoas isoladas e em situação de carência económica e social que necessitem de apoio institucional ou de apoio de pessoas próximas, devem ser consideradas as recomendações gerais, sendo de destacar alguns cuidados específicos.

Principais cuidados a ter:

  • • Contactar de forma periódica, verificando o estado de saúde das pessoas isoladas, em carência económica e social, frágeis ou com dependência. Deverá ser realizado um contacto pelo menos duas vezes por dia
  • • Informar sobre locais climatizados
  • • Informar sobre as condições climatéricas

Nota: Informações retiradas do site da DGS www.dgs.pt 


2809 001 page-00012809 001 page-00022809 001 page-0003

 


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO para dia 19 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA das 00h00 do dia 19 de Julho até às 23h59 do dia 20 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 10h00 do dia 20 de Julho até às 18h00 do dia 21 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral oeste até meio da manhã, nebulosidade que poderá persistir em alguns locais da faixa costeira a norte do Cabo da Roca;
  • • Durante a tarde, possibilidade de aumento temporário de nebulosidade no interior Norte, com baixa probabilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos e trovoadas;
  • • Vento fraco, soprando fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante oeste durante a tarde e início da noite;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 41 e os 43 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 18 e os 21 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 12 – 67 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

17JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros

 


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

AVISO LARANJA para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 16 de Julho até às 21h00 do dia 18 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 18h00 do dia 17 de Julho até às 21h00 do dia 18 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA VERMELHO desde o dia 17 de Julho até ao dia 18 de Julho!

(DECIR) ALERTA VERMELHOdesde as 00h00 do dia 17 de Julho até às 23h59 do dia 18 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO para dia 19 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA das 00h00 até às 23h59 do dia 19 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Vento por vezes forte nas terras altas;
  • • Tempo quente com céu geralmente limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade na faixa costeira ocidental;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até meio da manhã, rodando para o quadrante oeste a partir da tarde;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 41 e os 43 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 18 e os 21 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 12 – 67 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

17JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros

 


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

AVISO LARANJA para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 16 de Julho até às 21h00 do dia 18 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 18h00 do dia 17 de Julho até às 21h00 do dia 18 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA VERMELHO desde o dia 17 de Julho até ao dia 18 de Julho!

(DECIR) ALERTA VERMELHOdesde as 00h00 do dia 17 de Julho até às 23h59 do dia 18 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO para dia 19 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA das 00h00 até às 23h59 do dia 19 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu geralmente limpo, apresentando períodos

    de maior nebulosidade na faixa costeira ocidental.

  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até meio da manhã e a partir do final da tarde, soprando do quadrante oeste na região Sul e na faixa costeira a norte do Cabo Raso durante a tarde;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 41 e os 43 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 18 e os 21 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 12 – 67 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

17JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

AVISO LARANJA para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 16 de Julho até às 18h00 do dia 17 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 18h00 do dia 17 de Julho até às 21h00 do dia 18 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA VERMELHO desde o dia 17 de Julho até ao dia 18 de Julho!

(DECIR) ALERTA VERMELHOdesde as 00h00 do dia 17 de Julho até às 23h59 do dia 18 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo muito quente com céu pouco nublado ou limpo;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até meio da manhã e a partir do final da tarde, soprando do quadrante oeste na região Sul e na faixa costeira a norte do Cabo Raso durante a tarde;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 41 e os 43 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 18 e os 21 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 12 – 67 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

17JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 07 de Julho até ao dia 16 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 14 de Julho até às 23h59 do dia 16 de Julho!

AVISO LARANJA para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 16 de Julho até às 18h00 do dia 17 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 18h00 do dia 17 de Julho até às 21h00 do dia 18 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA VERMELHO dia 17 de Julho!

(DECIR) ALERTA VERMELHOdesde as 00h00 do dia 17 de Julho até às 23h59 do dia 18 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu pouco nublado ou limpo;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até meio da manhã e a partir do final da tarde, soprando do quadrante oeste na região Sul e na faixa costeira a norte do Cabo Raso durante a tarde;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 41 e os 43 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 19 e os 22 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 16 – 65 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

16JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 07 de Julho até ao dia 16 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 14 de Julho até às 23h59 do dia 16 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 11h00 do dia 15 de Julho até às 12h00 do dia 16 de Julho!

AVISO LARANJA para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 16 de Julho até às 18h00 do dia 17 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no interior da região Sul durante a tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, soprando moderado a forte (25 a 45 km/h) nas terras altas até meio da manhã, com rajadas até 65 km/h no Norte e Centro, e a partir do final da tarde;
  • • A partir da tarde, na faixa costeira ocidental o vento soprará de noroeste, por vezes forte (até 40 km/h) a norte do Cabo da Roca, e na região Sul;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 39 e os 43 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 16 e os 22 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 15 – 81 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

15JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 29 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 07 de Julho até ao dia 15 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 14 de Julho até às 23h59 do dia 16 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 11h00 do dia 15 de Julho até às 12h00 do dia 16 de Julho!

AVISO LARANJA para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 16 de Julho até às 18h00 do dia 17 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no interior da região Sul durante a tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, soprando moderado a forte (25 a 45 km/h) nas terras altas até meio da manhã, com rajadas até 65 km/h no Norte e Centro, e a partir do final da tarde;
  • • A partir da tarde, na faixa costeira ocidental o vento soprará de noroeste, por vezes forte (até 40 km/h) a norte do Cabo da Roca, e na região Sul;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 39 e os 43 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 16 e os 22 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 15 – 81 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Máximo.

15JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Julho!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.
O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme consta dos Relatório de Situação da Direção-Geral de Saúde sobre o NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), a situação apresenta alguma estabilidade, com tendência para melhorar. Mantendo-se no essencial os fundamentos que determinaram a declaração de situação de calamidade, foi a mesma prorrogada, para 19 freguesias do distrito de Lisboa, até às 23:59 horas do dia 14 de julho de 2020, passando a restante área Metropolitana de Lisboa para a situação de contingência e o restante território nacional para a situação de alerta.

29JUN2020

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 07 de Julho até ao dia 13 de Julho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 11 de Julho até às 23h59 do dia 13 de Julho!

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 11 de Julho até às 21h00 do dia 13 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade até meio da manhã, podendo persistir em alguns locais da faixa costeira;
  • • Possibilidade de ocorrência de aguaceiros até meio da manhã;
  • • Durante a tarde, aumento de nebulosidade nas regiões do interior Norte e Centro, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante oeste, sendo do quadrante leste até final da manhã e para final do dia, e soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até meio da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro em alguns locais da faixa costeira;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 37 e os 41 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 17 e os 20 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 19 – 92 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

12jul2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Julho!

(DECIR) ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 07 de Julho até às 23h59 do dia 08 de Julho!

(Saúde Sazonal) ALERTA AMARELO desde o dia 07 de Julho até ao dia 09 de Julho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 09 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral oeste até final da manhã, podendo persistir em alguns locais da faixa costeira das regiões Centro e Sul;
  • • Possibilidade de ocorrência de chuva fraca ou chuvisco na faixa costeira ocidental até início da manhã;
  • • Durante a tarde, aumento de nebulosidade nas regiões do interior Norte e Centro com possibilidade de ocorrência de aguaceiros por vezes fortes, ocasionalmente de granizo e acompanhados de trovoada;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando do quadrante leste no interior das regiões Norte e Centro até final da manhã e no final do dia, sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral oeste;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 34 e os 37 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 14 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 26 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

08JUL2020

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Tempo quente e seco permitindo condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO, de 01 de julho a 30 setembro é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Fazer Queima de Amontoados SEM AUTORIZAÇÃO. Informe-se na sua câmara municipal ou pelo 808 200 520;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo. Evite o uso de grade de discos.

É OBRIGATÓRIO usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Acompanhe a evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível nos sítios da internet da ANEPC, do IPMA e do ICNF, ou junto dos Serviços Municipais de Proteção Civil e dos Corpos de Bombeiros


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Julho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 04 de Julho até às 23h59 do dia 06 de Julho!

AVISO AMARELO desde as 09h00 do dia 04 de Julho até às 21h00 do dia 07 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade em alguns locais da faixa costeira ocidental até ao fim da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) predominando do quadrante norte, temporariamente do quadrante oeste na região Sul e soprando por vezes forte (até 40 km/h) na faixa costeira ocidental a norte do Cabo Espichel, em especial durante a tarde e início da noite;
  • • Nas terras altas, o vento soprará por vezes forte (até 40 km/h) de leste/nordeste até meio da manhã e de norte/nordeste a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 39 e os 41 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 15 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 14 – 96 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

05jul2020

Efeitos Expectáveis

Agravamento do risco de incêndio para níveis “elevado” a “máximo” no quadrante leste, centro e Algarve e vários concelhos em nível “elevado” nas regiões do Sul e do interior centro e norte.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO (01 de julho a 30 setembro) é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais;
  • • Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

(DIOPS) ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 28 de Junho!

(DECIR) ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 22 de Junho até às 23h59 do dia 24 de Junho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se temporariamente muito nublado no litoral a norte do Cabo Raso até ao final da manhã e no final do dia;
  • • Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco no Minho durante a manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando moderado a forte (30 a 40 km/h) na faixa costeira ocidental a sul do Cabo Carvoeiro a partir da tarde, e nas terras altas em especial até ao meio da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral a norte do Cabo Raso;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 31 e os 40 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 13 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 23 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

21JUN2020

Efeitos Expectáveis

Agravamento do risco de incêndio para níveis “elevado” a “máximo” no Algarve e vários concelhos em nível “elevado” nas regiões do Sul e do interior centro e norte.

Medidas de Auto- Proteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 14 de Junho!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.
O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme consta dos Relatório de Situação da Direção-Geral de Saúde sobre o NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), a situação apresenta alguma estabilidade, com tendência para melhorar. Mantendo-se no essencial os fundamentos que determinaram a declaração de situação de calamidade, foi a mesma prorrogada até às 23:59 horas do dia 14 de junho de 2020.

31mai2020 2

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.

 


ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Maio!

AVISO AMARELO para Trovoada desde as 11h00 até às 21h00 do dia 31 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 11h00 até às 21h00 do dia 31 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado, diminuindo de nebulosidade a partir da tarde;
  • • Aguaceiros, mais intensos e frequentes durante a tarde, sendo mais prováveis nas regiões do interior e com condições favoráveis à ocorrência de trovoada e queda de granizo;
  • • Vento fraco, soprando moderado (15 a 25 km/h) de noroeste na faixa costeira, em especial durante a tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 32 e os 33 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 15 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 40 – 96 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

31mai2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Maio!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.
O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme consta dos Relatório de Situação da Direção-Geral de Saúde sobre o NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), a situação apresenta alguma estabilidade, com tendência para melhorar. Mantendo-se no essencial os fundamentos que determinaram a declaração de situação de calamidade, foi a mesma prorrogada até às 23:59 horas do dia 31 de maio de 2020.

18MAI2020

 Efeitos Expectáveis

A continuidade de linhas de contágio para a situação epidemiológica, constituem um risco para o aumento dos casos de infeção, podendo agravar a sua expansão geográfica e a pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.


ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Maio!

AVISO AMARELO para Trovoada desde as 12h00 até às 20h00 do dia 30 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 12h00 até às 20h00 do dia 30 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado, apresentando períodos de muita nebulosidade no litoral oeste, em especial na região Centro e até final da manhã;
  • • Durante a tarde, aumento de nebulosidade nas regiões do interior com ocorrência de aguaceiros e trovoada em alguns locais, que poderão ser fortes, de granizo e acompanhados de rajadas;
  • • Vento em geral fraco predominando do quadrante norte, temporariamente moderado (até 25 km/h) de noroeste durante a tarde no litoral oeste e nas terras altas, soprando por vezes do quadrante leste no Algarve e sendo moderado (até 35 km/h) na Serra de Monchique;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral oeste;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 36 e os 37 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 16 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 26 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

30mai2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 31 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 18h09 até às 20h00 do dia 26 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado e com neblina ou nevoeiro no litoral entre os cabos Raso e Carvoeiro até início da manhã. Aumento temporário de nebulosidade durante a tarde em especial no interior, onde há possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoadas dispersos em especial no Norte e Centro e em regiões montanhosas, onde poderão ser localmente intensos;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, temporariamente de noroeste na faixa costeira ocidental durante a tarde;
  • • Nas terras altas, o vento soprará moderado a forte (30 a 45 km/h) do quadrante leste, por vezes com rajadas até 60 km/h no Norte e Centro, enfraquecendo temporariamente durante a tarde;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 35 e os 36 ºC e a temperatura mínima aiumentará para um intervalo entre os 16 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 29 – 82 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Moderado.

26mai2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 17 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 12h00 até às 20h00 do dia 14 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes, de granizo e que na região Sul poderão ser acompanhados de trovoada;
  • • Possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 35 km/h) do quadrante sul, sendo do quadrante norte no litoral das regiões Norte e Centro durante a tarde, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas das regiões Centro e Sul, temporariamente com rajadas até 60 km/h no Algarve;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 19 e os 20 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 9 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 63 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

14MAI2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 


ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 17 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 11h00 até às 21h00 do dia 12 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado, diminuindo de nebulosidade na região Sul a partir do meio da tarde;
  • • Aguaceiros, por vezes fortes, na região Sul até ao meio da tarde e nas regiões Norte e Centro durante a tarde, por vezes de granizo e com possibilidade de ocorrência de trovoada;
  • • Vento fraco, soprando temporariamente moderado (20 a 30 km/h) do quadrante oeste na região Sul, e sendo moderado a forte (30 a 40 km/h) nas terras altas;
  • • Possibilidade de formação de neblina em alguns locais do Norte e Centro;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 21 e os 22 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 9 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 49 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

12MAI2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 02 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 11h00 até às 18h00 do dia 09 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado, com boas abertas a partir da tarde;
  • • Aguaceiros nas regiões Norte e Centro, que poderão ser por vezes fortes e acompanhados de trovoadas e rajadas fortes em especial no interior durante a madrugada e durante a tarde, e que se poderão estender ao Alto Alentejo durante a tarde;
  • • Vento fraco, soprando moderado (25 a 35 km/h) do quadrante sul nas terras altas do Norte e Centro, rodando para o quadrante oeste fraco a moderado (até 30 km/h) a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 20 e os 25 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 10 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 56 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

08MAI2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 02 de Maio!

 

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.

 

O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro. Em Portugal, conforme Relatório de Situação n.º 46 - NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), datado de 17/04/2020, da Direção-Geral de Saúde, atualizado em 171100ABR20, registam-se 158.940 casos suspeitos; 19.022 casos confirmados e 657 óbitos.

 

Com o fundamento na verificação de uma continuada situação de calamidade pública, foi renovada a declaração do estado de emergência. A renovação do estado de emergência tem a duração de 15 dias, iniciando-se às 00:00 horas do dia 18 de abril de 2020 e cessando às 23:59 horas do dia 02 de maio de 2020.

 

17abr2020

 

 Efeitos Expectáveis

 

O aumento das linhas de contágio para a situação epidemiológica, são propícios, a um aumento dos casos de infeção, com o alargamento progressivo da sua expressão geográfica e com o aumento da pressão no sistema de resposta operacional.

 

Medidas de Auto-Proteção

 

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

 

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

 

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.

 

 


ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 02 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 17h10 até às 21h00 do dia 24 de Abril!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado até final da manhã;
  • • Aguaceiros a partir do meio da manhã, mais intensos e frequentes durante a tarde nas regiões Norte e Centro, em especial no interior, podendo ser pontualmente de granizo;
  • • Possibilidade de ocorrência de trovoada a partir da tarde, em especial nas regiões do interior;
  • • Vento em geral fraco predominando do quadrante norte, soprando moderado (até 30 km/h) na faixa costeira ocidental, em especial durante a tarde, e sendo temporariamente moderado (até 30 km/h) de sueste no Algarve e nas terras altas;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 24 e os 25 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 10 e os 11 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 61 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

24abr2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 02 de Maio!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 12h00 até às 18h00 do dia 20 de Abril!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 00h00 até às 07h00 do dia 21 de Abril!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva a partir da manhã no litoral oeste, a estender-se às restantes regiões, e será por vezes forte, passando gradualmente a regime de aguaceiros, localmente fortes, e que poderão ser ocasionalmente de granizo e acompanhados de trovoadas e rajadas fortes;
  • • Possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela a partir do final da tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, rodando para o quadrante sul a partir da manhã, e soprando temporariamente forte (35 a 50 km/h) no litoral e nas terras altas, tornando-se em geral fraco no litoral a norte de Sines gradualmente a partir do meio da tarde, e rodando para o quadrante oeste na região Sul;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 17 e os 18 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 8 e os 9 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 61 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

20ABR2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

Conselhos à população  Páscoa page-0001


 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 17 de Abril!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 06h00 até às 12h00 do dia 16 de Abril!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Aguaceiros, podendo ser por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada, na região Sul até ao final da manhã e nas regiões Norte e Centro até ao final da tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, por vezes forte (até 40 km/h) na região Sul até ao final da tarde, com rajadas até 65 km/h, e sendo moderado a forte (30 a 45 km/h) nas terras altas com rajadas até 90 km/h;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 18 e os 20 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 9 e os 11 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 57 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

15ABR2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 


ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 17 de Abril!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais.

O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro.

Em Portugal, conforme Relatório de Situação n.º 36 - NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), datado de 07/04/2020, da Direção Geral de Saúde, atualizado em 071100ABR20, regista-se 99.730 casos suspeitos; 12.452 casos confirmados e 345 vítimas mortais, confirmando uma curva crescente, com maior incidência na região norte do país.

Os 14 municípios do distrito de Braga, refletem que a caracterização demográfica dos casos confirmados, apresenta um aumento muito significativo, verificando-se um aumento de 223 casos confirmados nas últimas 24 horas.

07ABR2020

 Efeitos Expectáveis

O aumento das linhas de contágio para a situação epidemiológica, são propícios, a um aumento dos casos de infeção, com o alargamento progressivo da sua expressão geográfica e com o aumento da pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.

 


Despacho Declaracao da Situacao de Alerta page-0001

Despacho Declaracao da Situacao de Alerta page-0002


ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 17 de Abril!

AVISO AMARELO para Trovoadas desde as 14h00 do dia 14 de Abril até às 03h00 do dia 15 de Abril!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 15h00 do dia 14 de Abril até às 03h00 do dia 15 de Abril!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, tornando-se gradualmente muito nublado na região Sul a partir da tarde;
  • • Aguaceiros, que poderão ser por vezes fortes e de granizo na região Sul a partir da manhã;
  • • Condições favoráveis à ocorrência de trovoada;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, rodando para o quadrante sul na região Sul a partir do início da manhã, sendo por vezes forte (até 40 km/h) na costa sul do Algarve a partir da tarde, soprando moderado a forte (30 a 40 km/h) nas terras altas, com rajadas até 70 km/h a partir da tarde;
  • • Temperatura máxima mantem-se no intervalo entre os 18 e os 20 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 9 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 54 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

14ABR2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZUL desde as 00h01 do dia 14 de Março até às 23h59 do dia 15 de Março!

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 09 de Abril!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, foi aprovado o Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID - 19) – PONCoV, o presente plano aplica-se a todo o território continental e a todas as estruturas, forças e unidades envolvidas ou outras que cooperem nas atividades de proteção e socorro, servindo de referência ao planeamento, geral, especial e sectorial, para a gestão das situações de emergência referentes ao Coronavírus (COVID – 19), nos vários escalões territoriais. O Objetivo deste Plano é efetivar uma matriz de planeamento flexível para fazer face à pandemia de COVID - 19, que adote uma metodologia operacional que permita minimizar o impacte da pandemia no que respeita às possíveis disfunções no dispositivo integrado de operações de proteção e socorro (DIOPS) a fim de garantir, tanto quanto possível, a continuidade da prestação do socorro.

15mar2020

 Efeitos Expectáveis

O aumento das linhas de contágio para a situação epidemiológica, são propícios, a um aumento dos casos de infeção, com o alargamento progressivo da sua expressão geográfica e com o aumento da pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.


 

 

Recomendações-gerais-1 page-0001

 


 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 09 de Abril!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 08h00 até às 21h00 do dia 01 de Abril!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado, diminuindo de nebulosidade a partir do final da tarde na região Norte;
  • • Períodos de chuva tornando-se pouco frequentes na região Norte a partir do meio da tarde;
  • • Aguaceiros nas regiões Centro e Sul a partir da manhã, que poderão ser localmente fortes, de granizo e acompanhados de trovoada;
  • • Queda de neve acima de 1000 metros de altitude, subindo a cota para os pontos mais altos da serra da Estrela ao longo do dia;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) predominando do quadrante sul, temporariamente moderado a forte (30 a 40 km/h) de sudoeste no litoral e terras altas da região Sul a partir da tarde;
  • • Formação de gelo e geada em alguns locais do interior Centro;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 13 e os 22 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 2 e os 12 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 41 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

01ABR2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h01 do dia 16 de Março até às 23h59 do dia 09 de Abril!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 12h00 até às 21h00 do dia 20 de Março!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado até final da manhã;
  • • Aguaceiros a partir do início da tarde, mais prováveis no interior das regiões Norte e Centro;
  • • Possibilidade de ocorrência de trovoada durante a tarde, em especial no interior das regiões Norte e Centro;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, rodando para noroeste no litoral oeste a partir da tarde, e soprando moderado forte (30 a 40 km/h) nas terras altas do Centro e Sul até final a manhã;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 16 e os 17 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 9 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 73 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

19MAR2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZUL desde as 00h01 do dia 14 de Março até às 23h59 do dia 09 de Abril!

Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, declarada pela Organização Mundial de Saúde a 30 de janeiro de 2020, e de pandemia declarada a 11 de março de 2020, o Ministro da Administração Interna e a Ministra da Saúde assinaram o despacho de Declaração de Situação de Alerta, da Lei de Bases da Proteção Civil, que abrange todo o território nacional, até ao dia 9 de abril de 2020.

Declaração de Situação de Alerta resulta dos seguintes fatores:

  • • A situação epidemiológica a nível mundial;
  • • O aumento dos casos de infeção em Portugal, com o alargamento progressivo da sua expressão geográfica;
  • • A necessidade de conter as possíveis linhas de contágio para controlar a situação epidemiológica em Portugal.

Na sequência do mandato conferido à Comissão Nacional de Proteção Civil, resultante das reuniões realizadas nos dias 3 e 9 de março de 2020, em consonância com as decisões tomadas pelo Conselho de Ministros do dia 12 de março de 2020, e no âmbito da Lei de Bases de Proteção Civil, a Situação de Alerta determina a adoção de medidas de carácter excecional.

  • 13mar2020

 Efeitos Expectáveis

O aumento das linhas de contágio para a situação epidemiológica, são propícios, a um aumento dos casos de infeção, com o alargamento progressivo da sua expressão geográfica e com o aumento da pressão no sistema de resposta operacional.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela OMS e DGS:

  • • Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
  • • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
  • • Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
  • • Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
  • • Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
  • • Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
  • • Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
  • • Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
  • • Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24.
  • • Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
  • • Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
  • • Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de contágio, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e da DGS.


 

AVISO AMARELO para Vento desde as 18h00 do dia 19 de Janeiro até às 18h00 do dia 20 de Janeiro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos até ao início da manhã;
  • • Vento moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando por vezes forte (até 45 km/h) na faixa costeira ocidental, com rajadas até 65 km/h, em especial a partir da tarde;
  • • Nas terras altas, o vento será forte (35 a 55 km/h) de norte/nordeste, por vezes com rajadas até 110 km/h, em especial a partir da tarde;
  • • Formação de gelo ou geada nas regiões Norte e Centro, em especial no interior;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais abrigados;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 12 e os 17 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 4 e os 6 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 39 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

19jan2020

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZUL desde as 00h00 até às 10h00 do dia 18 de Janeiro!

AVISO AMARELO para Presipitação desde as 00h00 até às 06h00 do dia 18 de Janeiro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, aumentando gradualmente de nebulosidade a partir do início da tarde;
  • • Aguaceiros fracos até ao início da manhã, que poderão ser de neve acima de 1000/1200 metros de altitude;
  • • Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca no litoral no final do dia;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante oeste, soprando moderado a forte (até 40 km/h) nas terras altas até início da manhã e no final do dia;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 17 e os 18 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 9 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 73 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

17jan2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

2019

NIVEL AMARELO das 10h30 do dia 20 de Dezembro do Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo!

ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 22 de Dezembro!

ALERTA AZUL desde as 00h00 até às 23h59 do dia 23 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado, com boas abertas a partir do meio da manhã, gradualmente de norte para sul;
  • • Períodos de chuva fraca, temporariamente moderada a forte no Minho até meio da manhã, passando gradualmente a regime de aguaceiros fracos, que serão pouco frequentes a partir do meio da tarde;
  • • Possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até início da manhã;
  • • Vento moderado (25 a 35 km/h) do quadrante oeste, temporariamente forte (até 40 km/h) e com rajadas até 70 km/h no litoral a norte do Cabo Mondego até meio da manhã, soprando forte (40 a 55 km/h) e com rajadas até 100/110 km/h nas terras altas, tornando-se em geral fraco a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 18 e os 19 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 9 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 74 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

22dez2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Pela informação disponível prevê-se uma diminuição dos caudais debitados pelas barragens, o que contribuirá para a diminuição dos níveis registados no rio Tejo havendo lugar a algumas oscilações;
  • • É expectável desagravamento dos caudais, com base na informação disponível nesta altura;
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Efeitos Observados

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é observável:

  • • Submersão parcial do parque de estacionamento de Constância junto ao Rio Zêzere;
  • • Interdita a Rua do Tejo por motivos de limpeza da mesma;

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

AVISO AMARELO para Vento desde as 09h00 até às 18h00 do dia 21 de Dezembro!

NIVEL AMARELO das 10h30 do dia 20 de Dezembro do Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo!

ALERTA LARANJA desde as 16h30 do dia 20 de Dezembro até às 23h59 do dia 21 de Dezembro!

ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 22 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado, diminuindo de nebulosidade a partir da tarde;
  • • Períodos de chuva por vezes forte, passando a aguaceiros a partir da manhã e diminuindo de intensidade e frequência;
  • • Possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela no final do dia;
  • • Vento moderado a forte (30 a 40 km/h) de sudoeste, com rajadas até 90 km/h, em especial no litoral a partir da manhã;
  • • Nas terras altas vento forte (40 a 55 km/h), aumentando gradualmente de intensidade, com rajadas até 140 km/h;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 18 e os 19 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 10 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 66 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

21DEZ2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Pela informação disponível prevê-se a manutenção dos caudais debitados pelas barragens, o que potencialmente contribuirá para a manutenção dos níveis registados no rio Tejo havendo lugar a algumas oscilações;
  • • Não é expectável um agravamento significativo dos caudais, com consequente influência na previsão anterior;
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Efeitos Observados

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é observável:

  • • Submersão do parque de estacionamento de Constância junto ao Rio Zêzere;
  • • Submersão da Rua do Tejo;

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

AVISO LARANJA para Precipitação desde as 12h00 até às 18h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 12h00 até às 21h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 09h00 até às 18h00 do dia 21 de Dezembro!

NIVEL AMARELO das 10h30 do dia 20 de Dezembro do Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo!

ALERTA LARANJA desde as 16h30 do dia 20 de Dezembro até às 23h59 do dia 21 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva, por vezes forte e persistente até ao início da manhã, e durante a tarde na região Centro;
  • • Queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até ao início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) de oeste/sudoeste, sendo moderado a forte (até 45 km/h) no litoral, com rajadas até 90 km/h a sul do Cabo Carvoeiro durante a tarde;
  • • Nas terras altas, vento forte a muito forte (40 a 60 km/h), com rajadas até 140 km/h, em especial a partir da tarde;
  • • Nas terras altas, vento forte (40 a 50 km/h) de oeste/sudoeste, com rajadas até 100 km/h até final da tarde;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 17 e os 19 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 12 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 77 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

20DEZ2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Pela informação disponível prevê-se um aumento dos caudais debitados pelas barragens, o que potencialmente contribuirá para um aumento dos níveis registados no rio Tejo.
  • • Atendendo ainda aos avisos meteorológicos e Estado de Alerta Especial para precipitação e ventos fortes para o distrito de Santarém e para os restantes distritos do país, é expectável um agravamento dos caudais com consequente influência na previsão anterior.
  • • É previsível que o Distrito de Santarém entre no Estado de Alerta Especial Nível Laranja ainda durante o dia de hoje.
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Efeitos Observados

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é observável:

  • • Submersão do parque de estacionamento de Constância junto ao Rio Zêzere.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 19h00 do dia 18 de Dezembro até às 23h59 do dia 20 de Dezembro!

AVISO LARANJA para Precipitação desde as 12h00 até às 18h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 12h00 até às 21h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 09h00 até às 18h00 do dia 21 de Dezembro!

NIVEL AMARELO das 10h30 do dia 20 de Dezembro do Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva, por vezes forte e persistente até ao início da manhã, e durante a tarde na região Centro;
  • • Queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até ao início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) de oeste/sudoeste, sendo moderado a forte (até 45 km/h) no litoral, com rajadas até 90 km/h a sul do Cabo Carvoeiro durante a tarde;
  • • Nas terras altas, vento forte a muito forte (40 a 60 km/h), com rajadas até 140 km/h, em especial a partir da tarde;
  • • Nas terras altas, vento forte (40 a 50 km/h) de oeste/sudoeste, com rajadas até 100 km/h até final da tarde;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 17 e os 19 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 12 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 77 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

20DEZ2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Pela informação disponível prevê-se um aumento dos caudais debitados pelas barragens, o que potencialmente contribuirá para um aumento dos níveis registados no rio Tejo.
  • • Atendendo ainda aos avisos meteorológicos e Estado de Alerta Especial para precipitação e ventos fortes para o distrito de Santarém e para os restantes distritos do país, é expectável um agravamento dos caudais com consequente influência na previsão anterior.
  • • É previsível que o Distrito de Santarém entre no Estado de Alerta Especial Nível Laranja ainda durante o dia de hoje.
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Efeitos Observados

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é observável:

  • • Submersão do parque de estacionamento de Constância junto ao Rio Zêzere.

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 19h00 do dia 18 de Dezembro até às 23h59 do dia 20 de Dezembro!

AVISO LARANJA para Precipitação desde as 12h00 até às 18h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 12h00 até às 21h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 09h00 até às 18h00 do dia 21 de Dezembro!

Monitorização das 22h00 do dia 20 de Dezembro do Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva, por vezes forte e persistente até ao início da manhã, e durante a tarde na região Centro;
  • • Queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até ao início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) de oeste/sudoeste, sendo moderado a forte (até 45 km/h) no litoral, com rajadas até 90 km/h a sul do Cabo Carvoeiro durante a tarde;
  • • Nas terras altas, vento forte a muito forte (40 a 60 km/h), com rajadas até 140 km/h, em especial a partir da tarde;
  • • Nas terras altas, vento forte (40 a 50 km/h) de oeste/sudoeste, com rajadas até 100 km/h até final da tarde;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 17 e os 19 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 12 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 77 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

20DEZ2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 19h00 do dia 18 de Dezembro até às 23h59 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 15h00 do dia 19 de Dezembro até às 03h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO LARANJA para Vento desde as 12h00 do 19 de Dezembro até às 03h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 09h00 até às 18h00 do dia 21 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado ou encoberto;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e persistentes, que poderão ser de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela no final do dia;
  • • Possibilidade de ocorrência de trovoada;
  • • Vento moderado a forte (30 a 45 km/h) de sudoeste, com rajadas até 100 km/h, em especial no litoral oeste e a partir da tarde;
  • • Nas terras altas, vento forte a muito forte (40 a 60 km/h), com rajadas até 140 km/h, em especial a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 17 e os 18 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 13 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 84 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

19DEZ2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZUL desde as 15h00 até às 18h59 do dia 18 de Dezembro!

ALERTA AMARELO desde as 19h00 do dia 18 de Dezembro até às 23h59 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 18h00 do dia 18 de Dezembro até às 00h00 do dia 19 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 12h00 do dia 19 de Dezembro até às 00h00 do dia 20 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 09h00 até às 12h00 do dia 19 de Dezembro!

AVISO LARANJA para Vento desde as 12h00 do 19 de Dezembro até às 03h00 do dia 20 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado ou encoberto;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes a partir da tarde, em especial nas regiões Norte e Centro, que poderão ser de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela em especial até ao início da manhã;
  • • Possibilidade de ocorrência de trovoada a partir da tarde;
  • • Vento moderado (20 a 30 km/h) do quadrante sul, sendo moderado a forte (30 a 45 km/h) no litoral, com rajadas até 90 km/h no litoral Norte e Centro, em especial durante a tarde;
  • • Nas terras altas, o vento soprará moderado a forte (30 a 45 km/h) do quadrante sul, tornando-se forte a muito forte (40 a 60 km/h) nas regiões Norte e Centro, com rajadas até 110 km/h, a partir da manhã;
  • • Neblina ou nevoeiro temporário;
  • • Possibilidade de formação de gelo e geada no interior Norte e Centro;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 16 e os 18 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 8 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 85 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

18DEZ2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZUL desde as 15h00 do dia 18 de Dezembro até às 15h00 do dia 20 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente pouco nublado, apresentando períodos de maior nebulosidade até ao início da manhã, tornando-se geralmente muito nublado a partir do final da tarde;
  • • Aguaceiros até ao início da manhã e períodos de chuva fraca a partir do fim da tarde no litoral oeste;
  • • Possibilidade de queda de neve acima de 800 metros nas regiões Norte e Centro até ao início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando por vezes forte (até 45 km/h) nas terras altas, rodando para o quadrante sul a partir da tarde, e tornando-se moderado a forte (30 a 40 km/h) no litoral a norte do Cabo Carvoeiro no final do dia;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Formação de gelo e geada, em especial no interior Norte e Centro;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 17 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 5 e os 12 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 54 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

17dez2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

 

ALERTA AZUL desde as 14h00 do dia 15 de Dezembro até às 23h59 do dia 16 de Dezembro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 03h00 até às 15h00 do dia 16 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes;
  • • Possibilidade de queda de neve acima dos 1400/1600 metros a partir do final da tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, soprando por vezes forte (até 40 km/h) no litoral até final da manhã, e sendo moderado a forte (30 a 45 km/h) nas terras altas, com rajadas até 80 km/h;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 17 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 7 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 72 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

15dez2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.  

 

ALERTA AZUL desde as 14h00 do dia 15 de Dezembro até às 23h59 do dia 16 de Dezembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, mais frequentes nas regiões Norte e Centro;
  • • Vento moderado (20 a 30 km/h) do quadrante oeste, tornando-se em geral fraco no final do dia, e soprando moderado a forte (30 a 50 km/h) nas terras altas, por vezes com rajadas até 85 km/h, em especial nas regiões Norte e Centro e até meio da tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 15 e os 18 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 9 e os 12 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 64 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

13DEZ2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.  

 

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 07h00 até às 12h00 do dia 22 de Novembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado ou encoberto, com abertas a partir da manhã, gradualmente de norte para sul;
  • • Períodos de chuva persistente, e por vezes forte, passando gradualmente a regime de aguaceiros de norte para sul a partir da manhã, e que poderão ser sob a forma de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela durante a madrugada e a partir da tarde;
  • • Possibilidade de ocorrência de trovoadas a partir da manhã;
  • • Vento moderado a forte (até 40 km/h) do quadrante sul, soprando forte (35 a 55 km/h) no litoral e terras altas, por vezes com rajadas até 90/110 km/h, rodando para o quadrante oeste a partir do meio da manhã;
  • • Neblina ou nevoeiro temporário até meio da manhã;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 18 e os 19 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 10 e os 11 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 69 – 96 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

22NOV2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Aumento do desconforto térmico devido a diminuição da temperatura e ao aumento da intensidade do vento;
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.  

 

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 00h00 até às 06h00 do dia 20 de Novembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral muito nublado até ao final da manhã;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, podendo ser por vezes fortes na região Sul até ao início da manhã, diminuindo de intensidade e frequência a partir do final da tarde, sendo na forma de neve acima dos 1400 metros;
  • • Condições favoráveis à ocorrência de trovoada, em especial nas regiões do litoral e até ao meio da tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, rodando gradualmente para o quadrante oeste, sendo moderado a forte (até 40 km/h) nas terras altas;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Formação de gelo ou geada em alguns locais do interior Norte e Centro;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 14 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 7 e os 8 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 73 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

20nov2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Aumento do desconforto térmico devido a diminuição da temperatura e ao aumento da intensidade do vento;
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

 

ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 14 de Novembro até às 23h59 do dia 15 de Novembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 03h00 do dia 14 de Novembro até às 00h00 do dia 15 de Novembro!

AVISO LARANJA para Trovoada desde as 14h40 até às 18h00 do dia 14 de Novembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu em geral muito nublado;
  • • Períodos de chuva passando gradualmente a regime de aguaceiros, em especial no litoral e que poderão ser acompanhados de trovoada e queda de granizo;
  • • Queda de neve acima de 1000/1200 metros, descendo temporariamente a cota para 800/1000 metros;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) de noroeste no litoral, com rajadas até 85 km/h;
  • • Nas terras altas, o vento será forte (35 a 50 km/h), com rajadas até 95 km/h, podendo atingir 110 km/h nos pontos mais altos da Serra da Estrela;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 12 e os 15 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 5 e os 8 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 51 – 90 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

14NOV2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Aumento do desconforto térmico devido a diminuição da temperatura e ao aumento da intensidade do vento;
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 14 de Novembro até às 23h59 do dia 15 de Novembro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 03h00 do dia 14 de Novembro até às 00h00 do dia 15 de Novembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, tornando-se pouco nublado na região Sul durante a tarde e muito nublado na região Norte a partir do fim da tarde;
  • • Períodos de chuva até ao início da tarde, tornando-se fraca e pouco frequente durante a manhã;
  • • A partir do final da tarde, ocorrência de períodos de chuva no Minho e Douro Litoral, estendendo-se gradualmente às regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, podendo ser sob a forma de neve acima de 1400/1500 metros no fim do dia;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando por vezes forte (até 40 km/h) na faixa costeira ocidental, com rajadas até 60 km/h;
  • • Nas terras altas, o vento soprará moderado a forte (30 a 50 km/h) do quadrante oeste, com rajadas até 100 km/h até meio da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 13 e os 20 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 5 e os 12 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 49 – 97 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

13NOV2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Aumento do desconforto térmico devido a diminuição da temperatura e ao aumento da intensidade do vento;
  • • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

Medidas de Auto-Proteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.  

 

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 12h00 até às 15h00 do dia 19 de Outubro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 12h00 até às 19h00 do dia 19 de Outubro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado, com abertas no interior Centro e Sul a partir do final da tarde;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoada e rajadas fortes, em especial nas regiões Norte e Centro, diminuindo gradualmente de intensidade e frequência a partir do final da tarde;
  • • Possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela no final do dia;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, tornando-se moderado a forte (30 a 45 km/h) na faixa costeira a partir do final da manhã e nas terras altas do Centro e Sul, por vezes com rajadas até 80 km/h, rodando para oes-noroeste a partir do meio da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro temporário até final da tarde;
  • • Temperatura máxima mantem-se no intervalo entre os 20 e os 21 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 11 e os 12 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 64 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

19out2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 12h00 até às 18h00 do dia 19 de Outubro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado, diminuindo temporariamente de nebulosidade no interior Centro durante a manhã;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros, em geral fracos, em especial nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, mais frequentes no litoral e a partir da tarde, aumentando de intensidade no Minho para o final do dia;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante oeste, tornando-se moderado a forte (30 a 45 km/h) nas terras altas do Minho a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 19 e os 21 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 10 e os 11 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 53 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

18out2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.  

 

MEDIDAS PREVENTIVAS

ANO HIDROLÓGICO

Situação Meteorológica

De acordo com a informação meteorológica disponibilizada, salienta-se para amanhã (quarta-feira) a ocorrência de precipitação forte e persistente, em especial no Norte e Centro, com acumulados que podem atingir 80 mm/24h no Minho e Douro Litoral. Para quinta-feira, prevê-se precipitação por vezes forte e persistente (acumulando até 40 mm/12h no Minho e Douro Litoral), passando a regime de aguaceiros a partir da tarde, que se podem estender à região Sul.

Efeitos Expectáveis

Os episódios típicos das estações de transição, com a ocorrência das primeiras chuvas, são propícios:

• À ocorrência de inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais por obstrução dos sistemas de escoamento;
• A ocorrência de cheias, potenciadas pelo transbordo do leito de alguns cursos de água, rios e ribeiras;
• À instabilização de vertentes, conduzindo a movimentos de massa (deslizamentos, derrocadas e outros) motivados pela infiltração da água, podendo ser potenciados pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais, ou por artificialização do solo;
• À contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais;

Ao arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos, ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte, que podem causar acidentes com veículos em circulação ou transeuntes na via pública.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção, às possíveis consequências:

Inundações em zonas urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais:

  1. Com as primeiras chuvas, as quantidades de lixo depositado nas embocaduras dos sistemas de águas pluviais, a obstrução originada pela queda de folhas de árvores e os detritos vegetais juntamente com outros materiais inertes que durante a estação seca se depositaram ao longo das valetas das vias de comunicação, contribuem para situações de obstrução dos canais de escoamento.
  2. Estas são geralmente responsáveis pelo arrastamento e concentrações destes resíduos sólidos em locais inadequados (sarjetas, sumidouros, valetas) originando acumulações de águas pluviais que poderão provocar cortes de vias de comunicação ou mesmo inundações nos pisos mais baixos de edifícios.
  3. Desta forma, recomenda-se que providenciem a limpeza e desobstrução de sumidouros, valetas e outros canais de drenagem, removendo folhas caídas das árvores, areias e pedras que ali se depositaram previamente à época das chuvas. A verificação da funcionalidade dos sistemas de drenagem urbana é, por isso, essencial.
  4. Paralelamente, cada cidadão deve também tomar uma atitude pró-ativa, nomeadamente assegurando a desobstrução dos sistemas de escoamento de águas pluviais dos quintais, ou varandas e a limpeza de sarjetas, algerozes e caleiras dos telhados de habitações.

Cheias motivadas pelo transbordo do leito de alguns rios:

  1. O arrastamento e deposição de materiais sólidos pelos cursos de água pode contribuir, significativamente para o acréscimo dos efeitos das cheias. Outros condicionantes, como a falta de obstáculos à progressão da água nas bacias drenantes e a incapacidade de retenção da precipitação no coberto vegetal (como consequência de áreas ardidas) assim como a diminuição da capacidade de vazão das linhas de água e da capacidade de armazenamento nas albufeiras devido ao arrastamento de sólidos (por erosão) desde as bacias drenantes até à linha de água, são fatores associados às inundações por cheias.
  2. Neste contexto, recomenda-se a adoção, entre outras, das seguintes medidas de precaução:
  • • Desobstrução de linhas de água principalmente junto a pontes, aquedutos e outros estrangulamentos do escoamento;
  • • Limpeza de linhas de água assoreadas;
  • • Limpeza dos resíduos sólidos urbanos (muitos deles de grandes dimensões) depositados nos troços marginais dos cursos de água;
  • • Evitar cortes rasos de material lenhoso ardido em situações de declive intenso, localizados nas proximidades das linhas de água;
  • • Recolha ou trituração dos resíduos resultantes do corte dos salvados das áreas ardidas localizadas nas margens das linhas de água;
  • • Recolha ou trituração dos resíduos de atividades agrícolas e florestais existentes nas margens das linhas de água;
  • • Verificação (e eventual reparação) de eventuais situações de desmoronamentos das margens das linhas de água, de modo a evitar obstruções ou estrangulamentos;
  • • Inspeção visual de diques, ou outros aterros longitudinais às linhas de água, destinados a resguardar os terrenos marginais;
  • • Identificação de novos “pontos críticos” (aglomerados populacionais, edificações, vias de comunicação, pontes/pontões, etc.).

Instabilização de taludes ou movimentos de massa motivados pela infiltração de água, podendo ser potenciados pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais:

  1. A precipitação pode aumentar a instabilidade de solos e rochas em vertentes. O aumento da instabilidade dessas vertentes, em especial junto de aglomerados populacionais, vias rodoviárias e ferroviárias, deve ser observado como medida preventiva de acidentes causados por movimentos de massa (deslizamentos, desabamentos e outros).
  2. As principais observações que devem ser feitas, em especial em taludes de maior inclinação (onde mais abruptamente pode ocorrer a rotura) são as seguintes:
    1. Em taludes rochosos em que pode haver desmoronamento ou tombamento de blocos de rocha, deve observar-se o normal funcionamento das estruturas de escoamento (filtros, proteção de filtros, furos de alívio de pressão de água, etc.) e as estruturas de suporte para a estabilização de taludes (cortinas de cimento, gabiões de proteção, redes de proteção, etc.);
    2. Em aterros e taludes de terra, devem observar-se possíveis deformações (abertura de fendas que significam arrastamento de material), bem como assentamentos devido às variações do nível da água nos terrenos.
  3. A ocorrência de incêndios florestais pode reduzir o coberto vegetal, potenciando os movimentos de massa, causados por erosão intensificada e por alterações nas características das rochas face à exposição às temperaturas elevadas. Torna-se assim necessária, especial atenção a grandes blocos rochosos com sinais de exposição ao fogo e em posição instável.
  4. Sempre que as observações feitas suscitem dúvidas, devem ser comunicadas ao Serviço Municipal de Proteção Civil respetivo, de forma a serem desencadeadas formas de medição de parâmetros e de monitorização dos fenómenos de instabilidade.

Contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais:

A ocorrência de incêndios na proximidade de captações de água para consumo humano, pode ocasionar a contaminação da água por inertes, em consequência da destruição do coberto vegetal. A infiltração de águas pluviais contaminadas torna, assim, recomendável a monitorização da qualidade da água, de modo a garantir um abastecimento às populações de acordo com os exigíveis parâmetros de qualidade e segurança.

Arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos, ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte:

Os ventos fortes ou muito fortes, contínuos ou em rajada, são fenómenos muito frequentes, que podem arrastar, com perigo para os cidadãos e danos para o património, estruturas que não se encontrem devidamente fixadas. Recomenda-se que se verifiquem todas as estruturas que, pelas suas características (dimensão, formato, altura desde o solo, resistência ao vento), possam ser facilmente arrastadas ou levantadas dos seus suportes, procurando garantir que resistem aos ventos fortes. Nos casos em que tal seja impossível, deve garantir-se a facilidade de remover/desmontar essas estruturas, guardando-as em locais seguros sempre que ocorram ventos fortes previsíveis.

 


AVISO AMARELO para Precipitação desde as 00h00 até às 06h00 do dia 14 de Outubro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado, diminuindo temporariamente a nebulosidade no interior Centro durante a tarde;
  • • Períodos de chuva no Minho e Douro Litoral, estendendo-se gradualmente às restantes regiões durante a manhã, sendo temporariamente persistente e por vezes forte em especial no litoral;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, soprando moderado a forte (30 a 50 km/h) nas terras altas com rajadas até 70 km/h e, até ao início da manhã, na faixa costeira Norte, enfraquecendo a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal, em especial nas regiões do interior;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 18 e os 28 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 10 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 34 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Moderado.

13out2019 2

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 11 de Outubro até às 23h59 do dia 13 de Outubro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado, diminuindo temporariamente a nebulosidade no interior Centro durante a tarde;
  • • Períodos de chuva no Minho e Douro Litoral, estendendo-se gradualmente às restantes regiões durante a manhã, sendo temporariamente persistente e por vezes forte em especial no litoral;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, soprando moderado a forte (30 a 50 km/h) nas terras altas com rajadas até 70 km/h e, até ao início da manhã, na faixa costeira Norte, enfraquecendo a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal, em especial nas regiões do interior;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 18 e os 28 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 10 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 34 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Moderado.

13out2019 1

Efeitos Expectáveis

Aumento do risco de incêndio determinado pelas condições meteorológicas (condições de instabilidade atmosférica) e pelo estado de secura da vegetação (DC). Aumento da dificuldade nas operações de supressão e de rescaldo.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO é PROIBIDO em áreas onde o Risco de Incêndio seja Muito Elevado ou Máximo:

• Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais.
• Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais.
• Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
• Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
• Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
• Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.


 

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 11 de Outubro até às 23h59 do dia 13 de Outubro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente limpo;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, soprando moderado (20 a 30 km/h) de noroeste na faixa costeira ocidental;
  • • Nas terras altas, o vento será moderado a forte (25 a 40 km/h) do quadrante leste, sendo nas regiões Norte e Centro até meio da manhã e a partir do meio da tarde no Algarve;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 26 e os 32 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 10 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 18 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

10OUT2019

Efeitos Expectáveis

Aumento do risco de incêndio determinado pelas condições meteorológicas (condições de instabilidade atmosférica) e pelo estado de secura da vegetação (DC). Aumento da dificuldade nas operações de supressão e de rescaldo.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO é PROIBIDO em áreas onde o Risco de Incêndio seja Muito Elevado ou Máximo:

• Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais.
• Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais.
• Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
• Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
• Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
• Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.

 


 

 

Prolongamento do periodo critico 2019 page-0001


 

ALERTA LARANJA desde as 00h00 até às 23h59 do dia 15 de Setembro!

ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 16 de Setembro até às 23h59 do dia 17 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado na região Sul até ao meio da manhã;
  • • Condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros, em especial a partir da tarde e no interior Norte e Centro, onde podem ser acompanhados de trovoada;
  • • Vento fraco, soprando moderado (até 30 km/h) do quadrante leste nas terras altas do Norte e Centro até ao início da manhã, e rodando para o quadrante norte a partir da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro no litoral oeste a sul do Cabo Mondego para o final do dia;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 31 e os 33 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 13 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 24 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

15set2019

Efeitos Expectáveis

A manutenção do risco de incêndio determinado pelas condições meteorológicas (condições de instabilidade atmosférica) e pelo estado de secura da vegetação. A manutenção da dificuldade nas operações de supressão.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

 

Despacho situação alerta 13 e 14 setembro page-0001

Despacho situação alerta 13 e 14 setembro page-0002

Despacho situação alerta 13 e 14 setembro page-0003


ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 11 de Setembro até às 23h59 do dia 12 de Setembro!

ALERTA VERMELHO desde as 00h00 do dia 13 de Setembro até às 23h59 do dia 14 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, soprando temporariamente de noroeste moderado a forte (30 a 40 km/h) no litoral durante a tarde, e sendo moderado a forte (30 a 45 km/h) nas terras altas até final da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 32 e os 36 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 14 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 18 – 90 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

13set2019

Efeitos Expectáveis

A manutenção do risco de incêndio determinado pelas condições meteorológicas (especialmente vento) e pelo estado de secura da vegetação. A manutenção da dificuldade nas operações de supressão.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA VERMELHO desde as 00h00 do dia 04 de Setembro até às 23h59 do dia 10 de Setembro!

ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 11 de Setembro até às 23h59 do dia 12 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade nas regiões Centro e Sul até ao meio da manhã e durante a tarde na região Norte, em especial no interior;
  • • Vento moderado (20 a 30 km/h) de norte/noroeste, soprando moderado a forte (até 45 km/h) no litoral oeste, com rajadas até 70/80 km/h a partir do meio da manhã e até final da tarde, em especial a sul do Cabo Mondego. Nas terras altas, o vento será forte (40 a 50 km/h) de norte/noroeste, com rajadas até 70/80 km/h, rodando para nordeste no final do dia;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 26 e os 32 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 10 e os 12 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 17 – 90 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

10SET2019

Efeitos Expectáveis

A manutenção do risco de incêndio determinado pelas condições meteorológicas (especialmente vento) e pelo estado de secura da vegetação. A manutenção da dificuldade nas operações de supressão.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO (01 de julho a 30 setembro) é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais;
  • • Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.

 

ALERTA VERMELHO desde as 00h00 do dia 04 de Setembro até às 23h59 do dia 10 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado no litoral a norte do Cabo Raso até meio da manhã e para o final do dia, e aumentando temporariamente de nebulosidade por nuvens médias e altas nas regiões Norte e Centro a partir do meio da manhã;
    • Durante a tarde, aumento temporário de nebulosidade nas serras algarvias e interior do Baixo Alentejo;
    • Vento em geral fraco do quadrante oeste, tornando-se moderado (20 a 35 km/h) a partir do meio da manhã, e moderado a forte (até 40 km/h) de noroeste na faixa costeira ocidental e nas terras altas em especial do Centro e Sul a partir da tarde, por vezes com rajadas até 60 km/h;
    • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral Norte e Centro;
    • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 26 e os 29 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 12 e os 14 ºC em Constância;
    • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 25 – 97 % em Constância;
    • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

09SET2019

Efeitos Expectáveis

A manutenção do risco de incêndio determinado pelas condições meteorológicas (especialmente vento) e pelo estado de secura da vegetação. A manutenção da dificuldade nas operações de supressão.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que de acordo com a legislação aplicável e com o prolongamento do Declaração de Situação de Alerta com validade até às 23h59 do dia 10 de setembro de 2019 é PROIBIDO:

  • • A realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;
  • • O acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta contra Incêndios (PMDFCI), bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais;
  • • A realização de trabalhos nos espaços florestais, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais, com recurso a motor roçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta‐matos, destroçadores e máquinas com lâmina ou pá frontal;
  • • A utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas, nos distritos em que tenha sido Declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Vermelho pela ANEPC.

Despacho prorrogação de efeitos alerta 06 09 2019 page-0001


 

ALERTA VERMELHO desde as 00h00 do dia 04 de Setembro até às 23h59 do dia 09 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente limpo, aumentando temporariamente de nebulosidade no interior da região Sul em especial durante a tarde, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoadas especialmente no Baixo Alentejo e interior algarvio;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, sendo de vários rumos no Alentejo, soprando temporariamente moderado a forte (até 40 km/h) nas terras altas do Norte e Centro até meio da manhã, e rodando para o quadrante oeste durante a tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 28 e os 35 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 14 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

08set2019

Efeitos Expectáveis

A manutenção do risco de incêndio determinado pelas condições meteorológicas (especialmente vento) e pelo estado de secura da vegetação. A possibilidade da manutenção do número de ignições face à atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável o aumento da dificuldade nas operações de supressão.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que de acordo com a legislação aplicável e com o prolongamento do Declaração de Situação de Alerta com validade até às 23h59 do dia 10 de setembro de 2019 é PROIBIDO:

  • • A realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;
  • • O acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta contra Incêndios (PMDFCI), bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais;
  • • A realização de trabalhos nos espaços florestais, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais, com recurso a motor roçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta‐matos, destroçadores e máquinas com lâmina ou pá frontal;
  • • A utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas, nos distritos em que tenha sido Declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Vermelho pela ANEPC.

 


 AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 02 de Setembro até às 21h00 do dia 07 de Setembro!

ALERTA VERMELHO desde as 00h00 do dia 04 de Setembro até às 23h59 do dia 08 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu geralmente limpo.
  • • Vento em geral fraco do quadrante norte, tornando-se moderado (25 a 35 km/h) no litoral a partir do início da tarde, por vezes forte (até 40 km/h) na faixa costeira, e soprando moderado aforte (30 a 45 km/h) nas terras altas a partir do meio da tarde.
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 34 e os 38 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 13 – 94 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

04set2019

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • O índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo), determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação, apresenta valores elevados. Assim, prevê-se um aumento das ignições face ao incremento da atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável o aumento da dificuldade nas operações de supressão.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO (01 de julho a 30 setembro) é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais;
  • • Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.

 


Despacho Declaração da Situação de Alerta 4SET2019 VF page-0001


 

 

Despacho Declaração da Situação de Alerta 3SET2019 page-0001

Despacho Declaração da Situação de Alerta 3SET2019 page-0002

 


 

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 02 de Setembro até às 21h00 do dia 05 de Setembro!

ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 02 de Setembro até às 23h59 do dia 03 de Setembro!

ALERTA VERMELHO desde as 00h00 do dia 04 de Setembro até às 23h59 do dia 08 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Tempo quente com céu geralmente limpo, aumentando temporariamente de nebulosidade no interior da região Sul durante a tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, rodando para o quadrante norte a partir da tarde, e sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até meio da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 36 e os 39 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 15 – 93 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

03SET2019

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • O índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo), determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação, apresenta valores elevados. Assim, prevê-se um aumento das ignições face ao incremento da atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável o aumento da dificuldade nas operações de supressão.

Medidas Preventivas

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO (01 de julho a 30 setembro) é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais;
  • • Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.

 

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 12h00 do dia 02 de Setembro até às 20h00 do dia 04 de Setembro!

ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 02 de Setembro até às 23h59 do dia 03 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral Centro até meio da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando por vezes forte (até 40 km/h) e com rajadas até 60 km/h, no litoral oeste e nas terras altas, em especial a partir da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral Centro;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 33 e os 40 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 14 e os 19 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 15 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

02set2019

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • O índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo), determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação, vai apresentar valores elevados. Assim, prevê-se um aumento das ignições face ao incremento da atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável dificuldade nas operações de supressão.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO (01 de julho a 30 setembro) é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais;
  • • Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 31 de Agosto até às 23h59 do dia 01 de Setembro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se muito nublado no litoral a norte do Cabo Raso até final da manhã, nebulosidade que irá persistir em alguns locais da faixa costeira;
  • • Durante a tarde, aumento de nebulosidade no interior, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada;
  • • Vento fraco, soprando fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste no Algarve até final da manhã e de noroeste no litoral oeste a sul do Cabo Carvoeiro e nas terras altas durante a tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral a norte do Cabo Raso;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 32 e os 34 ºC e a temperatura mínima mantém-se no intervalo entre os 14 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 24 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

30AGO2019

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • O índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo), determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação, vai apresentar valores elevados. Assim, prevê-se um aumento das ignições face ao incremento da atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável dificuldade nas operações de supressão.

Medidas de Autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que durante o PERÍODO CRÍTICO (01 de julho a 30 setembro) é PROIBIDO:

  • • Fazer Queimadas Extensivas sem autorização das câmaras municipais;
  • • Fazer Queima de Amontoados sem autorização das câmaras municipais;
  • • Utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito.
  • • Fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.
  • • Lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal.
  • • Fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.
  • • Usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo.

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

AVISO AMARELO para Trovoada desde as 13h00 até às 21h00 do dia 26 de Agosto!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 13h00 até às 21h00 do dia 26 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado;
  • • Condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros e trovoada até ao fim da tarde, em especial nas regiões do interior, podendo ser pontualmente fortes e de granizo;
  • • Vento fraco, sendo moderado (até 25 km/h) de noroeste no litoral oeste a sul do Cabo Carvoeiro, e soprando moderado (20 a 35 km/h) do quadrante leste nas terras altas até meio da manhã;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 32 e os 33 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 31 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Moderado.

26ago2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

 

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 10h00 do dia 21 de Agosto até às 20h00 do dia 23 de Agosto!

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 20 de Agosto até às 23h59 do dia 25 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade nas regiões Norte e Centro e no Alentejo, em especial no interior e durante a tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) predominando do quadrante leste, rodando para o quadrante oeste a partir da tarde, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até meio da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 32 e os 39 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 14 e os 20 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 20 – 95 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

23AGO2019

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Manutenção do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) para valores de elevado, determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação. Aumento das ignições face ao incremento da atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável dificuldade nas operações de supressão, com possibilidade de existência de ocorrências com duração superior a 24h.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 


AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 10h00 do dia 21 de Agosto até às 20h00 do dia 23 de Agosto!

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 20 de Agosto até às 23h59 do dia 22 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando temporariamente períodos de maior nebulosidade na faixa costeira a sul do Cabo Carvoeiro, e,durante a tarde, no interior da região Centro e do Alentejo;
  • • Possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovada no interior Centro durante a tarde;
  • • Vento em geral fraco predominando do quadrante leste, rodando para noroeste durante a tarde, e soprando moderado (20 a 30 km/h) no litoral a norte do Cabo Raso a partir da tarde;
  • • Nas terras altas, em especial do Norte e Centro, o vento será fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, rodando temporariamente para nor-noroeste durante a tarde, e soprando por vezes forte (até 40 km/h) até meio da manhã e para o final do dia;
  • • Temperatura máxima mantém-se no intervalo entre os 37 e os 39 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 21 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 17 – 85 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

21AGO2019

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Incremento do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) para valores de elevado, determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação. Aumento das ignições face ao incremento da atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável dificuldade nas operações de supressão, com possibilidade de existência de ocorrências com duração superior a 24h.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

AVISO AMARELO para Tempo Quente desde as 10h00 do dia 21 de Agosto até às 05h00 do dia 22 de Agosto!

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 20 de Agosto até às 23h59 do dia 22 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado, apresentando-se temporariamente muito nublado por nuvens altas nas regiões Norte e Centro.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, sendo durante a tarde, de noroeste, e de sudoeste no sotavento algarvio, soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) na faixa costeira ocidental e nas terras altas do Centro e Sul, em especial a partir da tarde, por vezes com rajadas até 65 km/h.
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais da região Centro.
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 28 e os 40 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 13 e os 19 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 17 – 96 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

19ago2019

Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Incremento do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) para valores de elevado, determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação. Aumento das ignições face ao incremento da atividade humana junto dos espaços rurais. É expetável dificuldade nas operações de supressão, com possibilidade de existência de ocorrências com duração superior a 24h.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 


ALERTA AMARELO desde as 23h59 do dia 09 de Agosto até às 23h59 do dia 19 de Agosto!

ALERTA VERDE desde as 00h00 do dia 20 de Agosto!

Situaação de Crise Energética

O fim da Situação de Alerta foi declarado na sequência da Resolução de Conselho de Ministros nº 139-A/2019 de 19 de agosto, que determinou a cessação da situação de crise energética a partir das 23:59 de dia 19 de agosto.

 Efeitos Expectáveis

Retorno à normalidade do abastecimento de combustíveis em todo o território nacional.


 

ALERTA AMARELO desde as 23h59 do dia 09 de Agosto até às 23h59 do dia 21 de Agosto!

Situaação de Crise Energética

O Ministro da Administração Interna declarou, por despacho, a Situação de Alerta para o período compreendido entre as 23h59 do dia 9 de agosto de 2019 e as 23h59 do dia 21 de agosto de 2019, em todo o território de Portugal continental.

A Situação de Alerta é declarada na sequência da Situação de Crise Energética decidida pela Resolução de Conselho de Ministros nº 134-A/2019, face à suscetibilidade de serem afetados bens e serviços absolutamente essenciais à população.

 Efeitos Expectáveis

A eventual falência do abastecimento de combustíveis pode afetar a obtenção de bens e serviços absolutamente essenciais, com graves reflexos na sociedade e na economia do país.

Deveres Gerais

Durante o período de vigência da Declaração de Alerta, os cidadãos e as demais entidades têm, nos termos da Lei de Bases de Proteção Civil, o dever e a obrigação de colaboração, nomeadamente no cumprimento de ordens e instruções dos órgãos e agentes responsáveis pela segurança interna e pela proteção civil e na pronta satisfação de solicitações que justificadamente lhes sejam feitas pelas entidades competentes.


 

ALERTA AMARELO desde as 0h00 do dia 14 de Agosto até às 23h59 do dia 17 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, temporariamente nublado por nuvens altas.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) de norte, sendo temporariamente de sudoeste no sotavento algarvio durante a tarde, e soprando por vezes forte (até 40 km/h) de noroeste na faixa costeira ocidental, em especial durante a tarde, com rajadas até 60 km/h.
  • • Nas terras altas, o vento soprará moderado a forte (30 a 45 km/h) do quadrante norte até ao meio da manhã e a partir do fim da tarde.
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral da região Centro.
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 31 e os 35 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 13 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 20 – 95 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

13AGO2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Agravamento do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação. Espera-se um aumento significativo da dificuldade das operações de supressão em caso de incêndio rural nos distritos de Bragança, Castelo Branco, Santarém, Guarda e Portalegre.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 8h00 do dia 30 de Julho até às 23h59 do dia 07 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade até ao fim da manhã no litoral a norte do Cabo Raso e em alguns locais do Alentejo, e a partir do final da tarde no litoral a norte do Cabo Espichel.
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) de oeste/noroeste, soprando moderado (25 a 35 km/h) de norte/noroeste no litoral oeste, em especial durante a tarde e a sul do Cabo da Roca, sendo por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas das regiões Centro e Sul.
  • • Possibilidade de formação neblina ou nevoeiro matinal no litoral das regiões Norte e Centro.
  • • Temperatura máxima mantem-se no intervalo entre os 32 e os 33 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 14 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 28 – 97 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

05ago2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Manutenção de valores elevados do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação que se vão refletir na dificuldade das operações de supressão em caso de incêndio rural com especial incidência nos distritos em que vigora o EAE de nível AMARELO.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 8h00 do dia 30 de Julho até às 23h59 do dia 05 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade e com neblina ou nevoeiro no litoral Centro até meio da manhã, podendo essa nebulosidade persistir em alguns locais da faixa costeira.
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) de norte/noroeste, rodando temporariamente para sudoeste no sotavento algarvio durante a tarde, e soprando moderado a forte (25 a 40 km/h) nas terras altas do Centro e Sul e na faixa costeira ocidental durante a tarde, em especial a sul do Cabo Roca.
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 30 e os 33 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 13 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 27 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

01ago2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Manutenção de valores elevados do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação que se vão refletir na dificuldade das operações de supressão em caso de incêndio rural com especial incidência nos distritos em que vigora o EAE de nível AMARELO.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 8h00 do dia 30 de Julho até às 23h59 do dia 01 de Agosto!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade por nuvens altas nas regiões Norte e Centro.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, sendo de sudoeste na costa sul do Algarve durante a tarde, e soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) e com rajadas até 65 km/h na faixa costeira ocidental, e nas terras altas até meio da manhã e para o final do dia.
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 30 e os 32 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 14 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 29 – 96 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

31JUL2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Manutenção de valores elevados do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação que se vão refletir na dificuldade das operações de supressão em caso de incêndio rural com especial incidência nos distritos em que vigora o EAE de nível AMARELO.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 8h00 do dia 30 de Julho até às 23h59 do dia 31 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se geralmente muito nublado até meio da manhã, em especial no litoral oeste a norte do Cabo Raso, onde a nebulosidade poderá persistir até final da tarde.
  • • Períodos de chuva fraca ou chuvisco no Norte e Centro, em especial no litoral destas regiões, até meio da manhã.
  • • Vento fraco a moderado (até 35 km/h) do quadrante oeste, tornando-se moderado a forte (até 45 km/h) de noroeste, com rajadas até 65 km/h, nas regiões Centro e Sul a partir da tarde.
  • • Nas terras altas, o vento será moderado (20 a 35 km/h) do quadrante norte, e soprando moderado a forte (até 45 km/h), com rajadas até 75 km/h, até meio da manhã e a partir do meio da tarde.
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral.
  • • Temperatura máxima mantem-se no intervalo entre os 27 e os 33 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 25 – 94 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

29jul2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Prevê-se um agravamento dos índices do risco de incêndio para as próximas 48 horas em praticamente todo o território, excetuando a faixa costeira a norte do Cabo Mondego.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA LARANJA desde as 0h00 do dia 22 de Julho até às 23h59 do dia 25 de Julho!

ALERTA AMARELO desde as 0h00 até às 23h59 do dia 26 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, apresentando-se muito nublado no litoral oeste até ao final da manhã e pouco nublado no interior e sotavento algarvio até ao meio da tarde.
  • • Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco durante a tarde.
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante oeste, soprando moderado a forte (até 40 km/h) nas terras altas a partir da tarde e rodando para noroeste.
  • • Neblina ou nevoeiro matinal no litoral oeste.
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 27 e os 33 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 18 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 32 – 97 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

25JUL2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Manutenção de valores elevados do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação, em especial no interior Centro e na região Sul.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA LARANJA desde as 0h00 do dia 22 de Julho até às 23h59 do dia 25 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral muito nublado no litoral até final da manhã, nebulosidade que poderá persistir ao longo do dia em alguns locais da faixa costeira.
  • • Nas regiões do interior, ocorrência de aguaceiros mais frequentes durante a tarde, e que poderão ser por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoadas.
  • • Vento fraco, tornando-se fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante oeste a partir da tarde e soprando moderado a forte (até 40 km/h) de noroeste nas terras altas durante a tarde.
  • • Neblina ou nevoeiro matinal no litoral.
  • • Temperatura máxima mantem-se no intervalo entre os 32 e os 37 ºC e a temperatura mínima mantem-se num intervalo entre os 15 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 18 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

23JUL2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Manutenção de valores elevados do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 19 de Julho até às 23h59 do dia 21 de Julho!

ALERTA LARANJA desde as 0h00 do dia 22 de Julho até às 23h59 do dia 23 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente limpo, apresentando-se geralmente muito nublado e com neblina ou nevoeiro no litoral Centro até ao fim da manhã.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, sendo de sudoeste no sotavento algarvio durante a tarde, e soprando por vezes forte (35 a 45 km/h) e com rajadas até 60 km/h na faixa costeira ocidental, em especial a sul do Cabo Carvoeiro e a partir da tarde.
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 33 e os 37 ºC e a temperatura mínima mantem-se num intervalo entre os 14 e os 16 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 24 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

21JUL2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Agravamento do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação. Espera-se um aumento significativo da dificuldade das operações de supressão em caso de incêndio rural nos distritos de Beja, Bragança, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 19 de Julho até às 23h59 do dia 21 de Julho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade e com neblina ou nevoeiro nas regiões Norte e Centro até início da manhã, e a partir do final da tarde.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, temporariamente do quadrante oeste na região Sul, soprando moderado a forte (30 a 40 km/h), com rajadas até 65 km/h, no litoral oeste e terras altas, em especial a partir da tarde.
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 31 e os 34 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 14 e os 17 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 34 – 97 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

18jul2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Agravamento do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação. Espera-se um aumento significativo da dificuldade das operações de supressão em caso de incêndio rural nos distritos de Beja, Bragança, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à  evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 11 de Julho até às 23h59 do dia 12 de Julho!

Situação Meteorológica

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA, para as próximas 48 horas, salienta-se o tempo quente e seco, destacam-se os seguintes aspetos:

  • •Diminuição da humidade relativa do ar, para valores entre 15 e 25% em quase todo o território e com fraca recuperação noturna.
  • •Subida da temperatura máxima para valores acima de 30ºC na generalidade do território, entre 34 e 39ºC nas regiões do centro e do Sul (exceto o Algarve e costa vicentina) e Douro Litoral.
  • •Vento moderado (até 30 km/h) predominando de nordeste, soprando temporariamente do quadrante sul no Algarve, sendo por vezes forte (até 40 km/h) do quadrante Leste nas terras altas até meio da manhã e a partir do final da tarde..
  • •Noite de quinta para sexta-feira com temperatura superior a 20ºC na bacia do Tejo e interior sul e centro.
  • • Sexta-feira subida da temperatura máxima para valores acima de 35ºC na generalidade do território exceto no Algarve, entre 40 e 43ºC no Alentejo e na bacia do rio Tejo
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 16,1 – 82,7 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.
  • RI11072019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

Agravamento do índice FWI (indicador relativo da intensidade do fogo) determinado pelas condições meteorológicas e pelo estado de secura da vegetação. Espera-se um aumento significativo da dificuldade das operações de supressão em caso de incêndio rural.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 


ALERTA AMARELO desde as 08h00 do dia 11 de Junho até às 20h00 do dia 13 de Junho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade até final da manhã;
  • • Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco no litoral a norte do Cabo Raso até ao início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) de nor-noroeste, sendo de sudoeste sotavento algarvio durante a tarde, soprando moderado a forte (até 45 km/h) no litoral oeste a partir do meio da manhã, com rajadas até 75 km/h a sul do Cabo Carvoeiro;
  • • Nas terras altas, o vento será moderado a forte (30 a 50 km/h) de nor-noroeste, por vezes com rajadas até 70 km/h.
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 24 e os 27 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 9 e os 11 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 21 – 96 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

11JUN2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Os valores de FWI vão manter-se favoráveis à rápida propagação de incêndios rurais, em particular pela ação do vento, baixo teor de humidade e consequente disponibilidade dos combustíveis, até quinta-feira, dia 13 de junho, em particular nos distritos de Beja, Faro, Lisboa, Santarém, Setúbal. Assim, espera-se que o grau de dificuldade das operações de supressão se mantenha elevado, naqueles distritos.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 00h00 até às 23h59 do dia 03 de Junho!

ALERTA AZUL desde as 00h00 do dia 04 de Junho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se em geral muito nublado no litoral das regiões Norte e Centro até meio da tarde, podendo persistir em alguns locais;
  • • Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca no litoral a norte do Cabo Mondego até final da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até ao início da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal no litoral Norte e Centro;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 31 e os 32 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 12 e os 13 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 32 – 92 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

03JUN2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável que os valores de FWI se mantenham elevados durante o dia de amanhã, 3 de junho, em particular nos distritos do interior norte e também nos distritos do centro e sul. Assim, espera-se que o grau de dificuldade das operações de supressão se mantenha elevado, naqueles distritos.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


AVISO À POPULAÇÃO

PERIGO DE INCÊNDIO RURAL

Situação Meteorológica

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê-se para as próximas 48 horas uma subida da temperatura máxima do ar destacando-se:

Para o dia de amanhã, 25 de maio

  • • Humidade relativa do ar na região Sul (inferior a 30%). Não está prevista recuperação noturna deste valor até à noite de 26 para 27 de maio.
  • • Subida da temperatura máxima.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando moderado a forte (30 a 40 km/h), com rajadas até 60 km/h, no litoral e nas terras altas, até ao início da manhã e a partir da tarde.

Para depois de amanhã, 26 de maio

  • • Continuação dos valores baixos da humidade relativa do ar.
  • • Subida da temperatura máxima.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando moderado a forte (30 a 40 km/h) no litoral oeste, por vezes com rajadas até 60 km/h, até ao início da manhã e durante a tarde. Nas terras altas o vento soprará fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando moderado a forte (30 a 40 km/h) de nordeste até ao meio da manhã e para o final do dia.

Este cenário meteorológico irá traduzir-se num aumento do índice de risco de incêndio a partir de amanhã.

Efeitos Expectáveis

Considerando a previsão meteorológica, esperam-se condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais em especial na região Sul, e na região do vale do Tejo.

Medidas Preventivas

Para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja igual ou superior ao nível MUITO ELEVADO, não é permitido (a):

  • • O uso de fogareiros e grelhadores é proibido em todo o espaço rural, salvo se usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito;
  • • É proibido o lançamento de balões com mecha acesa e de foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da Câmara Municipal;
  • • É proibido fumigar ou desinfestar em apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivo de retenção de faúlhas;

Em virtude da declaração da situação de alerta hoje emitida, é ainda proibido em todo o território continental a realização de queimadas extensivas e de queimas de sobrantes de exploração.

o SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente através da adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, na utilização do fogo em espaços rurais, observando as restrições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA LARANJA desde as 00h00 do dia 30 de Maio até às 23h59 do dia 02 de Junho!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu limpo.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, rodando temporariamente para norte na faixa costeira ocidental a norte de Sines durante a tarde, e soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) nas terras altas até final da manhã e a partir do final da tarde.
  • • Temperatura máxima aumetará para um intervalo entre os 35 e os 39 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 12 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 11 – 75 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

30MAI2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável que os valores de FWI sofram um agravamento significativo a partir de hoje. Assim, espera-se que o grau de dificuldade das operações de supressão se mantenha elevado.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 15h00 do dia 24 de Maio até às 23h59 do dia 30 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo.
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, tornando-se de noroeste a partir da tarde e intensificando para moderado a forte (30 a 40 km/h) no litoral oeste, por vezes com rajadas até 60 km/h. Nas terras altas o vento soprará moderado a forte (25 a 45 km/h) do quadrante norte, soprando de nordeste até ao meio da manhã.
  • • Temperatura máxima aumetará para um intervalo entre os 29 e os 36 ºC e a temperatura mínima aumetará para um intervalo entre os 10 e os 18 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 11 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

26MAI2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Uma estabilização dos indicadores relativos à intensidade do fogo, nomeadamente dos valores de FWI. No entanto, é expectável que os valores de FWI voltem a sofrer um agravamento significativo a partir de dia 29/30 de maio. Assim, espera-se que o grau de dificuldade das operações de supressão se mantenha elevada nas regiões sul, e que aumente de forma gradual nas restantes a partir de dia 30MAI19.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 15h00 do dia 24 de Maio até às 23h59 do dia 26 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado, temporariamente nublado por nuvens altas;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante norte, soprando moderado a forte (30 a 45 km/h), com rajadas até 70 km/h, no litoral oeste, em especial durante a tarde, e nas terras altas;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 27 e os 33 ºC e a temperatura mínima mantem no intervalo entre os 11 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 20 – 97 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Muito Elevado.

24MAI2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • O aumento dos indicadores relativos à intensidade do fogo, nomeadamente dos valores de FWI. Assim, espera-se que o grau de dificuldade das operações de supressão aumentem de forma gradual a partir de dia 24MAI19.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 12 de Maio até às 23h59 do dia 16 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente limpo;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, tornando-se do quadrante norte a partir da tarde, e soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) nas terras altas até meio da manhã;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 23 e os 36 ºC e a temperatura mínima mantem no intervalo entre os 10 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 20 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Moderado.

15mai2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • A manutenção de valores de temperatura máxima acima do que é normal para a época do ano, vento moderado a forte do quadrante leste, soprando com rajadas com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

ALERTA AZUL desde as 08h00 do dia 11 de Maio até às 23h59 do dia 11 de Maio!

ALERTA AMARELO desde as 00h00 do dia 12 de Maio até às 23h59 do dia 14 de Maio!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado, com abertas a partir da manhã, tornando-se gradualmente pouco nublado a partir do meio da tarde;
  • • Períodos de chuva até meio da manhã, podendo ocorrer aguaceiros fracos até meio da tarde, em especial no Minho e Douro Litoral;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, soprando por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas até final da manhã, rodando para o quadrante oeste a partir da tarde;
  • • Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro até final da manhã;
  • • Pequena subida de temperatura, em especial nas regiões do interior;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 23 e os 34 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 9 e os 15 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 16 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

10MAI2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • A manutenção de valores de temperatura máxima acima do que é normal para a época do ano, vento moderado a forte do quadrante leste, soprando com rajadas com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


 

Despacho Declaração da Situação de Alerta 16ABR019 pages-to-jpg-0001

Despacho Declaração da Situação de Alerta 16ABR019 pages-to-jpg-0002

Despacho Declaração da Situação de Alerta 16ABR019 pages-to-jpg-0003


 

AVISO AMARELO para Trovoada desde as 10h00 até às 19h00 do dia 01 de Abril!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 10h00 até às 19h00 do dia 01 de Abril!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Aguaceiros que, em especial durante a tarde, podem ser por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada;
  • • Vento fraco, soprando por vezes moderado (até 25 km/h) do quadrante oeste no litoral da região Sul durante a tarde;
  • • Nas terras altas do Norte e Centro o vento soprará por vezes moderado (20 a 30 km/h) do quadrante leste até ao meio da manhã;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 21 e os 22 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 9 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 59 – 97 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

01ABR2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

 

ALERTA AMARELO desde as 16h00 do dia 25 de Março até às 23h59 do dia 31 de Março!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo, apresentando temporariamente períodos de maior nebulosidade durante a tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, rodando para o quadrante oeste no litoral durante a tarde, e sendo moderado a forte (25 a 40 km/h) nas terras altas até ao final da manhã;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 21 e os 25 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 3 e os 7 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 17 – 94 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

29MAR2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • A manutenção de valores de temperatura máxima acima do que é normal para a época do ano, vento moderado a forte do quadrante leste, soprando com rajadas com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recorda que, de acordo com a declaração da Situação de Alerta em vigor, é proibida a realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração.

  • • O SMPC recomenda ainda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 

DECLARAÇÃO DA SITUAÇÃO DE ALERTA

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio florestal no território do Continente, e considerando a decisão da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, que determinou a passagem do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais ao Estado de Alerta Especial Amarelo em todos os distritos, os Ministros da Administração Interna e da Agricultura, Florestas e  Desenvolvimento Rural assinaram hoje o Despacho que determina a Declaração da Situação de Alerta.

No âmbito da Declaração da Situação de Alerta, prevista na Lei de Bases de Proteção Civil, serão implementas as seguintes medidas de caráter excecional:

  • Elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da GNR e da PSP, com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos de risco e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas;
  • Proibição da realização de queimadas, de queimas de sobrantes de explorações agrícolas e florestais e de ações de gestão de combustível com recurso à utilização de fogo; 
  • Dispensa dos trabalhadores dos setores público e privado que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 241/2007;

A Situação de Alerta abrange todos os distritos do Continente entre as 00h00 do dia 27 de março e as 23h59 do dia 31 de março. O Governo acompanha em permanência o evoluir da situação operacional e apela aos cidadãos para que adequem os seus comportamentos ao quadro meteorológico que tem sido amplamente divulgado.


 

ALERTA AMARELO desde as 16h00 do dia 25 de Março até às 23h59 do dia 29 de Março!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no Algarve até meio da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, rodando temporariamente para o quadrante norte na faixa costeira ocidental a norte do cabo Espichel durante a tarde, e sendo moderado a forte (até 40 km/h) no Algarve, por vezes com rajadas até 65 km/h até meio da tarde;
  • • Nas terras altas, o vento será moderado a forte (30 a 50 km/h) do quadrante leste, por vezes com rajadas até 75 km/h até final da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 25 e os 26 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 4 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 15 – 72 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

27MAR2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • A manutenção de valores de temperatura máxima acima do que é normal para a época do ano, vento moderado a forte do quadrante leste, soprando com rajadas com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recorda que, de acordo com a declaração da Situação de Alerta em vigor, é proibida a realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração.

  • • O SMPC recomenda ainda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 

ALERTA AMARELO desde as 16h00 do dia 25 de Março até às 23h59 do dia 27 de Março!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu pouco nublado ou limpo;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, soprando por vezes forte (até 40 km/h), com rajadas até 65 km/h, no litoral a norte do Cabo Mondego até meio da manhã, sendo temporariamente do quadrante norte na faixa costeira ocidental durante a tarde;
  • • Nas terras altas, o vento será moderado a forte (30 a 50 km/h) do quadrante leste, por vezes com rajadas até 80 km/h até final da manhã e a partir do final da tarde;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 25 e os 27 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 4 e os 8 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 13 – 58 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Elevado.

26MAR2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Valores de temperatura máxima acima do que é normal para a época do ano, o vento será moderado do quadrante leste, soprando com rajadas com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recorda que, de acordo com as disposições legais em vigor, para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja de nível MUITO ELEVADO ou superior, não é permitido:

  • • A queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, bem como a que decorra de exigências fitossanitárias de cumprimento obrigatório, está sujeita a autorização da autarquia local, devendo esta definir o acompanhamento necessário para a sua concretização, tendo em conta o risco do período e zona em causa;
  • • O SMPC recomenda ainda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 

ALERTA AZUL desde as 09h00 do dia 23 de Março até às 20h00 do dia 26 de Março!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade durante a tarde, em especial no interior das regiões Centro e Sul;
  • • Vento em geral fraco do quadrante leste, soprando moderado (25 a 35 km/h) no Algarve, por vezes com rajadas até 60 km/h, e sendo moderado (20 a 30 km/h) do quadrante norte no litoral oeste durante a tarde;
  • • Nas terras altas das regiões Centro e Sul, o vento soprará moderado a forte (25 a 45 km/h) do quadrante leste, por vezes com rajadas até 60 km/h;
  • • Temperatura máxima aumetará para um intervalo entre os 25 e os 29 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um intervalo entre os 2 e os 7 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 12 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Moderado.

23MAR2019

 Efeitos Expectáveis

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas é expectável:

  • • Valores de temperatura máxima acima do que é normal para a época do ano, o vento será moderado do quadrante leste, soprando com rajadas com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recorda que, de acordo com as disposições legais em vigor, para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja de nível MUITO ELEVADO ou superior, não é permitido:

  • • A queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, bem como a que decorra de exigências fitossanitárias de cumprimento obrigatório, está sujeita a autorização da autarquia local, devendo esta definir o acompanhamento necessário para a sua concretização, tendo em conta o risco do período e zona em causa;
  • • O SMPC recomenda ainda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

 

ALERTA AZUL desde as 15h00 do dia 05 de Março até às 12h00 do dia 06 de Março!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 00h00 até às 06h00 do dia 06 de Março!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva ou aguaceiros no litoral oeste, estendendo-se gradualmente às restantes regiões, sendo por vezes fortes e persistentes nas regiões Norte e Centro a partir da tarde;
  • • Possibilidade de ocorrência de trovoada, em especial a partir da tarde;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, tornando-se a partir do final da manhã, moderado a forte (30 a 45 km/h) no litoral oeste, por vezes com rajadas até 80 km/h a norte do Cabo Raso;
  • • Nas terras altas, o vento será moderado (até 30 km/h) do quadrante sul, tornando-se gradualmente forte (40 a 55 km/h) a partir da manhã, por vezes com rajadas até 110 km/h nas regiões Norte e Centro a partir da tarde;
  • • Temperatura máxima mantem-se no intervalo entre os 15 e os 19 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 7 e os 8 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 52 – 98 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

05mar2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

AVISO À POPULAÇÃO

PRECIPITAÇÃO, NEVE, VENTO E AGITAÇÃO MARÍTIMA

Situação Meteorológica

No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), realizado hoje no Comando Nacional de perações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), e de acordo com a informação meteorológica disponibilizada prevê-se, para as próximas 48 horas, um agravamento das condições meteorológicas, salientando-se: 

  • • Períodos de chuva por vezes forte (entre 10 e 20 mm numa hora) e persistente (entre 30 e 40 mm em seis horas) nas regiões do Norte e do Centro, passando a aguaceiros, que poderão ser fortes, de granizo e acompanhados de trovoada, entre o início da tarde de amanhã e o final da manhã de quarta-feira.
  • • Vento forte do quadrante sul com rajadas até 80 km/h a norte do Cabo Mondego. Nas terras altas das regiões Norte e Centro vento com rajadas até 100 km/h, a partir do meio da tarde de amanhã até ao início da manhã de quarta-feira.
  • • Queda de neve acima de 1200/1400 metros de altitude, entre o final da tarde de quarta-feira e o final da manhã de quinta-feira, podendo descer à cota de 1000 metros na serra do Gerês.
  • • Agitação marítima na costa ocidental com ondas de sudoeste com 4,0 a 4,5 metros, passando entre o fim da tarde de amanhã e o início da tarde de quinta-feira, para noroeste com ondas de 4 a 5 metros de altura.

Efeitos Expectáveis

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
  • • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas Preventivas

O SMPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, pelo que recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZUL desde as 15h00 do dia 05 de Março até às 06h00 do dia 06 de Março!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 03h00 até às 06h00 do dia 06 de Março!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Períodos de chuva, passando gradualmente a regime de aguaceiros fracos e pouco frequentes até final da manhã, e que poderão ser de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até ao início da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, soprando moderado a forte (30 a 40 km/h) nas terras altas até ao início da manhã;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 13 e os 19 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 7 e os 8 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 45 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

04MAR2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZULdesde as 20h00 do dia 31 de Janeiro até às 12h00 do dia 02 de Fevereiro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 18h00 do dia 31 de Janeiro até às 00h00 do dia 01 de Fevereiro!

AVISO AMARELO para Vento desde as 09h00 até às 21h00 do dia 01 de Fevereiro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu muito nublado ou encoberto, com abertas no final do dia nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela;
  • • Períodos de chuva persistente, mais intensa nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, temporariamente forte a partir do meio da tarde, passando a regime de aguaceiros a partir do final da tarde, gradualmente de norte para sul;
  • • Possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela, descendo a cota para 1200/1400 metros de altitude no final do dia;
  • • Vento moderado (25 a 35 km/h) predominando de sudoeste, soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) no litoral, por vezes com rajadas até 65 km/h a partir da tarde, e forte (40 a 55 km/h) nas terras altas, com rajadas até 85 km/h, rodando para oeste a partir do final da tarde;
  • • Pequena subida de temperatura, em especial da mínima e nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela;
  • • Neblina ou nevoeiro temporário;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 13 e os 16 ºC e a temperatura mínima mantem-se no intervalo entre os 7 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 59 – 99 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

31JAN2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

ALERTA AZUL desde as 12h00 do dia 30 de Janeiro até às 12h00 do dia 01 de Fevereiro!

AVISO AMARELO para Precipitação desde as 18h00 do dia 31 de Janeiro até às 00h00 do dia 01 de Fevereiro!

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA destacam-se os seguintes aspetos:

  • • Céu geralmente muito nublado;
  • • Chuva em geral fraca no litoral oeste, estendendo-se às regiões do interior durante a manhã, tornando-se por vezes forte nas regiões Norte e Centro a partir do início da tarde;
  • • Queda de neve acima de 800 metros, subindo a cota para os pontos mais altos da Serra da Estrela a partir do final da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste, tornando-se moderado a forte (30 a 45 km/h) no litoral a partir da tarde, com rajadas até 65 km/h a norte do Cabo Carvoeiro, e tornando-se forte (30 a 50 km/h) nas terras altas, com rajadas até 85 km/h a partir do meio da tarde;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do interior;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 13 e os 16 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os 5 e os 10 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 44 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

30JAN2018

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

Plano Contingencia Inverno


AVISO AMARELO para Tempo Frio desde as 00h00 do dia 11 de Janeiro até às 12h00 do dia 12 de Janeiro!

Segundo o IPMA prevê-se para as próximas horas, o seguinte cenário meteorológico e hidrológico:

  • • Céu pouco geralmente limpo, apresentando-se temporariamente nublado no nordeste transmontano até meio da manhã;
  • • Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, soprando moderado a forte (30 a 50 km/h) nas terras altas;
  • • Formação de geada;
  • • Possibilidade de formação de neblina matinal, em especial nos vales e terras baixas do nordeste transmontano;
  • • Temperatura máxima diminuirá para um intervalo entre os 13 e os 15 ºC e a temperatura mínima aumentará para um intervalo entre os -1 e os 0 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 43 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

10jan2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Intoxicação por inalação de gases devido a inadequada ventilação de habitações com recurso a lareiras e braseiras;
  • • Incêndio em habitações em resultado da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias elétricas;
  • • Formação de gelo em troços de estradas com sombra permanente.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção, às possíveis consequências:

  • • Evitar exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
  • • Envergar várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
  • • Proteger as extremidades do corpo com gorro, cachecol, luvas e meias quentes;
  • • Ingerir sopas e bebidas quentes e evitar o consumo de álcool;
  • • Envergar vestuário adequado por parte de trabalhadores que exerçam atividades ao ar livre e evitar que exerçam esforços excessivos durante as tarefas que realizem;
  • • Tomar especial atenção aos aquecimentos com combustão (braseiras e lareiras), os quais podem causar intoxicação e conduzir à morte devido à acumulação de monóxido de carbono;
  • • Assegurar a adequada ventilação das habitações;
  • • Evitar o uso de dispositivos de aquecimento antes de dormir, cuidando de os desligar da corrente antes de deitar;
  • • Adotar uma condução defensiva e ter especial atenção aos locais da estrada suscetíveis de formação de gelo;
  • • Atender aos familiares e vizinhos que possam necessitar de auxílio e apoio, nomeadamente pessoas mais idosas e em condições de maior isolamento;
  • • Dedicar especial atenção aos grupos da população mais vulneráveis, como as crianças, idosos e as pessoas portadoras de patologias crónicas, bem como os sem-abrigo;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e aos conselhos e recomendações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

 

AVISO AMARELO para Tempo Frio desde as 18h00 do dia 05 de Janeiro até às 10h00 do dia 09 de Janeiro!

Segundo o IPMA prevê-se para as próximas horas, o seguinte cenário meteorológico e hidrológico:

  • • Céu pouco nublado ou limpo;
  • • Vento em geral fraco do quadrante leste, sendo temporariamente do quadrante norte durante a tarde, soprando por vezes moderado a forte (25 a 45 km/h) nas terras altas das regiões Norte e Centro;
  • • Formação de geada, em especial no interior;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal, em especial nos vales e terras baixas, podendo persistir em alguns locais do nordeste transmontano;
  • • Acentuado arrefecimento noturno;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 14 e os 17 ºC e a temperatura mínima mantém-se entre os -2 e os 0 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 42 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

06jan2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Intoxicação por inalação de gases devido a inadequada ventilação de habitações com recurso a lareiras e braseiras;
  • • Incêndio em habitações em resultado da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias elétricas;
  • • Formação de gelo em troços de estradas com sombra permanente.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção, às possíveis consequências:

  • • Evitar exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
  • • Envergar várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
  • • Proteger as extremidades do corpo com gorro, cachecol, luvas e meias quentes;
  • • Ingerir sopas e bebidas quentes e evitar o consumo de álcool;
  • • Envergar vestuário adequado por parte de trabalhadores que exerçam atividades ao ar livre e evitar que exerçam esforços excessivos durante as tarefas que realizem;
  • • Tomar especial atenção aos aquecimentos com combustão (braseiras e lareiras), os quais podem causar intoxicação e conduzir à morte devido à acumulação de monóxido de carbono;
  • • Assegurar a adequada ventilação das habitações;
  • • Evitar o uso de dispositivos de aquecimento antes de dormir, cuidando de os desligar da corrente antes de deitar;
  • • Adotar uma condução defensiva e ter especial atenção aos locais da estrada suscetíveis de formação de gelo;
  • • Atender aos familiares e vizinhos que possam necessitar de auxílio e apoio, nomeadamente pessoas mais idosas e em condições de maior isolamento;
  • • Dedicar especial atenção aos grupos da população mais vulneráveis, como as crianças, idosos e as pessoas portadoras de patologias crónicas, bem como os sem-abrigo;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e aos conselhos e recomendações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

 

AVISO AMARELO para Tempo Frio desde as 18h00 do dia 05 de Janeiro até às 12h00 do dia 07 de Janeiro!

Segundo o IPMA prevê-se para as próximas horas, o seguinte cenário meteorológico e hidrológico:

  • • Céu pouco nublado ou limpo;
  • • Vento em geral fraco do quadrante leste, sendo temporariamente do quadrante norte no litoral oeste durante a tarde, e soprando por vezes moderado (até 35 km/h) nas terras altas das regiões Norte e Centro;
  • • Formação de geada, em especial no interior;
  • • Neblina ou nevoeiro matinal em especial em vales e terras baixas;
  • • Acentuado arrefecimento noturno;
  • • Temperatura máxima aumentará para um intervalo entre os 15 e os 16 ºC e a temperatura mínima diminuirá para um entre os -2 e os 0 ºC em Constância;
  • • Humidade Relativa estará num intervalo entre os 47 – 100 % em Constância;
  • • O índice de risco de incêndio previsto aponta para valores na classe do Reduzido.

05jan2019

 Efeitos Expectáveis

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • • Intoxicação por inalação de gases devido a inadequada ventilação de habitações com recurso a lareiras e braseiras;
  • • Incêndio em habitações em resultado da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias elétricas;
  • • Formação de gelo em troços de estradas com sombra permanente.

Medidas de Autoproteção

O SMPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção, às possíveis consequências:

  • • Evitar exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
  • • Envergar várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
  • • Proteger as extremidades do corpo com gorro, cachecol, luvas e meias quentes;
  • • Ingerir sopas e bebidas quentes e evitar o consumo de álcool;
  • • Envergar vestuário adequado por parte de trabalhadores que exerçam atividades ao ar livre e evitar que exerçam esforços excessivos durante as tarefas que realizem;
  • • Tomar especial atenção aos aquecimentos com combustão (braseiras e lareiras), os quais podem causar intoxicação e conduzir à morte devido à acumulação de monóxido de carbono;
  • • Assegurar a adequada ventilação das habitações;
  • • Evitar o uso de dispositivos de aquecimento antes de dormir, cuidando de os desligar da corrente antes de deitar;
  • • Adotar uma condução defensiva e ter especial atenção aos locais da estrada suscetíveis de formação de gelo;
  • • Atender aos familiares e vizinhos que possam necessitar de auxílio e apoio, nomeadamente pessoas mais idosas e em condições de maior isolamento;
  • • Dedicar especial atenção aos grupos da população mais vulneráveis, como as crianças, idosos e as pessoas portadoras de patologias crónicas, bem como os sem-abrigo;
  • • Estar atento às informações da meteorologia e aos conselhos e recomendações da Proteção Civil e Forças de Segurança. 

{/sliders 2019}

2018


2017

 

Reabilitaçao Urbana de Constância

Área de Reabilitação Urbana (ARU)

ARU Logo

A reabilitação e regeneração urbanas apresentam-se atualmente como elementos chave da competitividade dos núcleos urbanos num ambiente de concorrência global.

A constituição de uma zona delimitada como Área de Reabilitação Urbana (ARU) corresponde a uma necessidade de identificação do núcleo histórico que faz parte integrante da memória da Vila de Constância. Importa reabilitar, conservar e valorizar. É necessário desenvolver uma operação concertada na renovação dos edifícios, que garantam a valorização territorial e o uso sustentável da intervenção humana. É necessário renovar, em termos populacionais, o núcleo histórico que se encontra envelhecido e com sinais de abandono e despovoamento. É necessário requalificar os equipamentos já existentes e reforçar a oferta cultural.

Pretende-se revitalizar esta área, intervindo na melhoria da qualidade do ambiente urbano e das condições socioecónomicas, atuando de forma integrada atendendo aos recursos existentes e potenciais, públicos e privados, apelando à população e às entidades que os representam para colaborarem neste processo.

Com a delimitação desta ARU, pretende-se potencializar a intervenção dos privados, através da criação de estímulos à reabilitação urbana por parte destes proprietários, enquadrados numa estratégia integrada de reabilitação urbana, articulada com um programa de investimentos públicos.

Em termos físicos, a filosofia de intervenção é recuperar o património que se encontre num estado de conservação mais deficitário, viabilizando deste modo a sua preservação e reutilização, promovendo o respeito pela linguagem formal e pelos materiais tradicionais e sempre que possível, a eliminação ou integração dos elementos dissonantes existentes.

A necessidade de investimento na reabilitação urbana do núcleo histórico de Constância traduz-se num processo fundamental para o desenvolvimento urbano integrado do aglomerado e para o pleno aproveitamento das suas potencialidades turísticas, garantido a conservação dos valores patrimoniais e da sua identidade cultural e, simultaneamente, procurando inverter a espiral de degradação do edificado e a desertificação económica e social que teima em verificar-se no nosso centro histórico.

A Assembleia Municipal, sob proposta da Câmara Municipal de Constância aprovou a delimitação da ARU do Centro Histórico de Constância, que corresponde à zona que é abrangida pelo PPSV do Núcleo Histórico de Constância, ratificado pela Portaria n.º 673/94, publicada a 20 de Julho de 1994.

Deliberação da Câmara Municipal

Deliberação da Assembleia Municipal

Aviso n.º 8534/2015 – Aprovação da delimitação da ARU do Centro Histórico de Constância

ARU de Constância

Plano de Pormenor, Salvaguarda e Valorização do Núcleo Histórico (PPSV) de Constância

ARU mapa 

 

Programa Estratégico de Reabilitação Urbana (PERU)

Aviso n.º 3004/2018 - Abertura do período de discussão pública

O Programa Estratégico de Reabilitação Urbana (PERU) para a Operação de Reabilitação Urbana (ORU) da Área de Reabilitação Urbana (ARU) do Centro Histórico de Constância, na sequência de deliberação da Câmara Municipal datada de 1 de fevereiro de 2018, esteve em Discussão Pública durante 20 dias úteis, de 12 de março a 09 de abril de 2018, altura em que a Proposta para o PERU e demais elementos constituintes do processo puderam ser consultados no sítio do Município ou presencialmente no edifício dos Paços do Concelho.

A proposta estabelece uma visão, estratégia e projetos estruturantes para a ARU de Constância, identificando ainda possíveis fontes de financiamento e benefícios fiscais resultantes da aprovação da sua delimitação. No caso do PERU de Constância, considerando a natureza e âmbito do quadro de ações/projetos previstos, ficou definido que o tipo de ORU a implementar para o território do centro histórico de Constância é do tipo Sistemática tendo presente, nomeadamente, a abrangência e diversidade das intervenções previstas ao nível de infraestruturas e espaços verdes urbanos, que se encontram associadas ao programa de investimento público que abrange 25 ações/projetos especificamente ligados à reabilitação/regeneração do edificado e do espaço público urbano, e que totalizam um investimento total de cerca de 3,3 milhões de euros.

Após o procedimento de discussão pública foi elaborado o Relatório de Análise e Ponderação do Período de Discussão Pública, onde consta a análise da participação por escrito recebida ao longo do período referido, bem como a identificação das alterações introduzidas na proposta do PERU e, diversa documentação referente ao processo de participação pública desenvolvido.

Peru 

Sob proposta da Câmara Municipal deliberada no dia 07 de junho de 2018, o PERU - ORU Sistemática - da ARU do Centro Histórico de Constância foi aprovado por unanimidade, por deliberação da Assembleia Municipal de Constância, em sessão ordinária de 22 de junho de 2018. Do ponto de vista temporal esta ORU será operacionalizada num período total de 10 anos, a contar desta data.

Parecer do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I. P.

Relatório de Análise e Ponderação do Período de Discussão Pública

Programa Estratégico de Reabilitação Urbana

Extrato da Ata (AMC)

Aviso n.º 10185/2018 - Aprovação Final

Informação Adicional

Se quiser saber mais sobre esta temática pode consultar:

Portal da Habitação – Reabilitação Urbana

Portal da Habitação – Benefícios Fiscais de Incentivo à Reabilitação Urbana

Portal Centro 2020 – Financiamentos

Programa “Reabilitar para Arrendar – Habitação Acessível”

ReabilitarParaArrendar

AGENDA

NOTÍCIAS

Error: No articles to display

facebook2twitter orange peqicon instagram-01 - Cópiarss orange - Cópiarss orange - Cópia

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de cookies. Politica de cookies .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies